Coimbra  1 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz: Clube Náutico confia no regresso de mais classes de vela em 2021

23 de Dezembro 2020 Jornal Campeão: Figueira da Foz: Clube Náutico confia no regresso de mais classes de vela em 2021

O Clube Náutico da Figueira da Foz (CNAFF) afirma que sofreu uma redução na sua actividade, apesar do esforço da Direcção em não deixar estagnar o clube.

“Sentimos uma grande limitação nas nossas actividades desportivas, que praticamente se resumem à parte da vela e motonáutica (mais no período de Verão), com a questão da pandemia, mas também pelo estado da barra da Figueira”, refere Miguel Amaral.

Num breve olhar ao ano de 2020, explica o presidente do CNAFF que “o período de Verão foi razoável, com um aumento significativo de jovens na escola de vela”. “A vertente da motonáutica – Fórmula Futuro – também funcionou muito bem e a formação de náutica de recreio foi razoável”, acrescentou.

Quanto a 2021, Miguel Amaral adianta que “têm o calendário e plano de actividades preparados e que envolvem todas as actividades”. “Estamos na expectativa que as coisas corram melhor, até porque há uma série de classes de vela que estão interessadas em voltar novamente à Figueira da Foz”, adianta.

Por falar do usufruto do rio Mondego, o responsável abordou a questão da invasão dos jacintos-de-água que tem vindo a acontecer todos os anos.

“Com as previsões feitas em relação ao que aconteceu o ano passado, em que a doca de recreio foi invadida por jacintos – o que nos prejudicou, mas também aos utentes da doca, pesca lúdica e pesca da lampreia – este ano a Câmara da Figueira, em consonância com a Câmara de Montemor-o-Velho, tomou uma postura bastante correcta que foi antecipar e tomar a intervenção de soltar ou desprender toda aquela massa floral que estava localizada no braço antigo do Rio Mondego, para que não viesse agora prejudicar as actividades” – referiu.

Miguel Amaral recordou, numa breve conversa com os jornalistas, que “a doca de recreio é uma infra-estrutura importante para a cidade da Figueira da Foz, distrito e região”. “Da parte da administração portuária tem havido alguma falta de atenção, porque a marina e todo este equipamento é de utilização contínua e do ponto de vista de manutenção, tem sido um pouco negligenciada”, considera.

“Contudo, parece que há uma intenção da parte da administração em proceder a uma intervenção de fundo neste equipamento e nós esperamos que aconteça a breve prazo”, acrescentou.

Estas declarações foram efectuadas à margem de um convívio de Natal que todos os anos acontece entre os membros da Direcção do CNAFF. Este ano apenas com a presença de quatro elementos da Direcção, cumprindo-se as normas de distanciamento e segurança aconselhadas pelas autoridades de saúde.