Coimbra  22 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Figueira da Foz: Cidadãos reagem ao recuo da Câmara no abate de árvores

16 de Agosto 2018 Jornal Campeão: Figueira da Foz: Cidadãos reagem ao recuo da Câmara no abate de árvores

A autarquia da Figueira da Foz recuou hoje na decisão de abater 16 árvores em Buarcos, localizadas numa zona ajardinada junto ao mercado municipal daquela vila e vai reformular o projeto de requalificação urbana, cuja obra está em curso, disse o presidente da Câmara Municipal. Em declarações aos jornalistas, João Ataíde assumiu que não sabia do corte de 16 plátanos, tílias e faias com cerca de 50 anos, localizadas num espaço ajardinado junto ao mercado municipal de Buarcos previsto para ser transformado em parque de estacionamento e garantiu que o abate não vai acontecer.

A reacção do movimento cívico contra este abate alega que o recuo nessa intenção, hoje divulgado pela autarquia, é circunstancial e exige uma sessão pública de esclarecimento sobre as alterações ao projeto. i”Não aceitamos recuos circunstanciais, motivados pela concentração de algumas dezenas de pessoas que se uniram hoje para evitar um crime ambiental”, disse à agência Lusa o advogado Luís Pena, do movimento ambientalista Parque Verde, classificando de “extraodinário” o desconhecimento assumido pelo Presidente da Câmara. “Então o dono da obra não sabe o que se vai fazer ali? Será que só o arquiteto e os técnicos sabem e os políticos não? É sintomático o desnorte de quem dirige os destinos desta cidade e que nem conhece o parque arbóreo do seu território”, argumentou Luís Pena.

Perante a intenção da autarquia em reformular o projeto e suspender o corte das árvores, o ambientalista anunciou que o movimento cívico pretende marcar presença na próxima reunião do executivo municipal, dia 30, e exige a realização de uma sessão pública de esclarecimento sobre as alterações ao projeto de Buarcos.

O movimento Parque Verde mantém ainda em aberto a eventual apresentação de uma queixa à Comissão Europeia sobre a intervenção camarária em Buarcos.