Coimbra  5 de Agosto de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Festival das Caldeiradas na Figueira da Foz até 13 de Junho

2 de Junho 2021 Jornal Campeão: Festival das Caldeiradas na Figueira da Foz até 13 de Junho

A centenária pastelaria e restaurante Bijou, no Bairro Novo, Figueira da Foz, recebeu a apresentação do Festival das Caldeiradas, que vai decorrer desta quinta-feira (dia 03) a 13 de Junho.

Este é o primeiro evento gastronómico que a Associação Figueira Sabor a Mar está a realizar este ano, porque o Sável e a Lampreia foi cancelado devido ao confinamento provocado pela covid-19.

A pandemia tem complicado a vida a toda a gente, mas a restauração, hotelaria e similares têm sido as principais vítimas deste surto, estando a sentir grandes dificuldades em retomar a sua actividade.

Este primeiro evento 2021 do “Figueira Sabor a Mar”, com o Festival de Caldeiradas, vai realizar-se em 12 restaurantes (Bijou, Caçarola Dois, Caçarola-1, Casa dos Papagaios, Casa Marquinhas, Casa Mota, Dory Negro, Grazina Casa das Enguias, Marégrafo, Pep´s, Lota Nova e Trancosense).

Nesta apresentação de hoje, a Bijou continua a esmerar-se no serviço e teve nota alta não só na apresentação (entradas, sopa de peixe, caldeirada e sobremesas), como no profissionalismo de todo o serviço.

Inicialmente, o presidente da Associação Figueira Sabor a Mar, Mário Esteves, lembrou a “fase difícil porque têm passado”, mas enalteceu o apoio dos patrocinadores dos Festivais que têm sido incansáveis na ajuda para que tudo volte à normalidade.

Já Jorge Loureiro, em representação do Turismo Centro Portugal, congratulou-se com a iniciativa dos festivais, porque “são fundamentais para sinalizar o que a Figueira da Foz tem de melhor na gastronomia alicerçada ao destino turismo”, lembrando ainda que “há muito caminho a percorrer”.

O presidente da autarquia, Carlos Monteiro, finalizou as intervenções falando do peixe como “marca diferenciadora da gastronomia da Figueira da Foz”. O autarca não escondeu a sua preocupação quanto à falta de mão-de-obra qualificada, lembrando que é preciso esquecer o “estigma da emigração” e aceitar a “integração como o caminho a seguir”. Finalizou enumerando algumas das várias iniciativas que se vão realizar este Verão para contribuir “minimizar a sazonalidade neste período de dificuldades e veraneio”.

Pese embora os momentos difíceis que todos vivem, a Associação Figueira Sabor a Mar continuará a tentar consolidar todo o trabalho anteriormente realizado nesta vertente nas últimas décadas, que visa estimular o consumidor na época baixa e incrementar dinâmica na restauração local e diversificar a oferta turística do destino Praia da Claridade.

“A Figueira da Foz tem gastronomia tradicional única e autêntica que esconde estórias de gente, lugares e sabores, que se forem devidamente tratadas podem reverter a favor de todos” garante o presidente da Associação, Mário Esteves.