Coimbra  26 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Festival da Raia é na Figueira da Foz em 13 restaurantes

3 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Festival da Raia é na Figueira da Foz em 13 restaurantes

Raia Fig Foz 1

Treze restaurantes da Figueira da Foz recebem o Festival Gastronómico da Raia, entre amanhã (sexta-feira) e 13 de Setembro, uma iniciativa da associação Figueira Sabor a Mar.

Os restaurantes participantes são: Aldente, Bijou, Adega da Quinta, Caçarola-1, Caçarola Dois, Casa Mota, Dory Negro, Lota Nova, Malibu Foz, Marégrafo, Pep´s, Tapas Bar e Trancosense.

A apresentação do Festival decorreu ontem, no Tapas Bar, com José Miguel a fazer jus a este tradicional pitéu que começou com Sol Engarrafado, apresentando de seguida uma ementa agradável à base deste peixe cartilaginoso, que se iniciou com empadas de raia e pequenos bocados de raia panada como entrada.

Os dois pratos fortes foram raia enxambrada, acompanhada de batata a murro e o toque especial da cozinheira D. Maria, que apresentou de seguida a raia com molho de pitau.

A apresentação finalizou com Brisas da Figueira acompanhadas de gelado, tudo servido com os vinhos rosé, brancos e tintos do Valle do Nídeo.

Mário Esteves, presidente da Associação Figueira Sabor a Mar, lembrou a importância destas iniciativas no ânimo da restauração, que “está tenuemente a recuperar” depois desta crise da pandemia que ainda mantém os empresários da restauração, hotelaria e similares preocupados, pois “temem os horizontes futuros porque põem em jogo muitos postos de trabalho”.

Carlos Figueiredo, em representação do Turismo Centro Portugal, salientou a firmeza dos empresários figueirenses em “transmitir confiança e segurança”, para alavancar o “optimismo e o desenvolvimento do país”.

O período de intervenções foi encerrado pelo presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, que realçou o espírito positivo da associação ao manter as iniciativas – embora a Figueira da Foz tenha tido números baixos no confinamento -, pois a covid-19 “obriga a mudanças de alguns hábitos, mas, sobretudo, é necessário manter a confiança no futuro”.