Coimbra  27 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Farmácias comunitárias vão vacinar contra a gripe para o SNS

30 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Farmácias comunitárias vão vacinar contra a gripe para o SNS

 

As farmácias comunitárias vão vacinar contra a gripe, em todo o país, para o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

O programa “Vacinação SNS Local” é o nome de um novo serviço farmacêutico de proximidade, prestado por 10 000 profissionais, em 2 750 farmácias.

Os utentes maiores de 65 anos terão direito a vacinar-se gratuitamente numa farmácia da sua preferência, a partir de dia 19 de Outubro, à semelhança do que acontece nos centros de saúde.

A operacionalização será feita em regime de parceria com as Câmaras Municipais que contribuirão para o suporte desta iniciativa, o que deverá fazer subir o número de beneficiários para além deste primeiro contingente. O fundo de emergência “Abem: covid-19”, da Associação Dignitude, facilitará a gestão de beneficiários, município a município, assim como o acesso à vacina por parte dos cidadãos mais carenciados.

“Contamos com a contribuição das câmaras municipais, das empresas e das instituições de solidariedade, a fim de assegurar o acesso à vacinação ao maior número possível de cidadãos de grupos de risco nas farmácias próximas da sua residência, com mais comodidade e total segurança”, apela Maria de Belém Roseira, embaixadora da Associação Dignitude.

“Está demonstrado em todo o mundo que o aproveitamento da rede de farmácias permite aumentar a imunização da população”, declara a também ex-ministra da Saúde.

O programa “Vacinação SNS Local” teve uma experiência-piloto, implementada nos dois últimos anos no concelho de Loures. A liberdade dada aos munícipes deste concelho para poderem escolher vacinar-se numa farmácia, nas mesmas condições do centro de saúde, aumentou em 33 por cento a imunização contra a gripe da população maior de 65 anos.

“A rede de farmácias garante que as vacinas chegam aos cidadãos mais vulneráveis, em condições de conforto e de segurança, próximo das suas casas”, declara Paulo Cleto Duarte, presidente da Associação Nacional das Farmácias.

As farmácias asseguraram o acesso a 500 000 vacinas, para o seu próprio serviço de vacinação, que existe há 12 anos, tendo assim Portugal 2,5 milhões de vacinas disponíveis.