Coimbra  3 de Dezembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Falta de escoamento do leite para queijo da serra preocupa associação

14 de Abril 2020 Jornal Campeão: Falta de escoamento do leite para queijo da serra preocupa associação

As dificuldades em escoar o leite já levaram a indústria a baixar o preço, um alerta e uma preocupação aos quais a Associação Nacional de Criadores de Ovinos da Serra da Estrela (ANCOSE) está atenta.

A Associação alertou, hoje, para essas mesmas dificuldades, revelando estar preocupada “com a situação dos pastores”. “Um rebanho com 100 ovelhas dá 1000 euros de prejuízos por mês”, disse à agência Lusa o presidente da associação, Manuel Marques, a propósito da crise que afecta o sector devido à pandemia da covid-19.

O preço do leite por litro já baixou, inclusivamente, de 1,25 euros para 80 cêntimos.

Os associados da ANCOSE, com sede no concelho de Oliveira do Hospital, “enfrentam problemas no escoamento do leite” para as queijarias com denominação de origem protegida (DOP), mas também para as fábricas que produzem queijo não certificado, embora estas continuem a importar leite de Espanha.

Manuel Marques disse ter conhecimento de “apenas uma empresa” que produz queijo DOP Serra da Estrela, em Mangualde, no distrito de Viseu, que manteve o preço do leite.

“Não há saída para o leite de ovelha”, acentuou o dirigente, explicando que a ANCOSE, a pedido dos pastores, tem vindo a “congelar muito leite” nas suas instalações, em cujas câmaras frigoríficas está acumular igualmente queijo que os criadores “não conseguem vender” na actual conjuntura.

Entretanto, a sede da ANCOSE, na Bobadela, foi reaberta ao público, após ter sido encerrada durante três semanas, permitindo “reorganizar os serviços e criar condições de segurança” para dirigentes, trabalhadores e sócios, face à actual pandemia.

O presidente da Associação distinguiu a actual situação dos criadores de ovelhas da Serra da Estrela da crise desencadeada pelos grandes incêndios de 15 e 16 de Outubro de 2017, que atingiram cerca de 30 municípios do Centro de Portugal, incluindo concelhos da região demarcada do queijo DOP Serra da Estrela.

“Nessa tragédia, conseguimos ajudar-nos uns aos outros. Mas agora não. É uma crise em todo o país, com toda a gente a sofrer”, sublinhou Manuel Marques.