Coimbra  20 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Faculdade de Psicologia desenvolve projecto para prevenir a depressão nos jovens

9 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Faculdade de Psicologia desenvolve projecto para prevenir a depressão nos jovens

Uma equipa da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FPCEUC) inicia, neste mês de Outubro, em duas escolas do Agrupamento Figueira Norte, na Figueira da Foz, um plano de intervenção que visa “a promoção da saúde mental, a prevenção da depressão e o combate ao estigma social e ao insucesso escolar associados”.

Segundo a Universidade de Coimbra, “a intervenção vai ser aplicada na Escola Básica Pintor Mário Augusto e na Escola Secundária Cristina Torres, no âmbito do projecto ‘SMS’, acrónimo de ‘Sucesso, Mente e Saúde’, financiado pelo programa Portugal Inovação Social e pela Câmara Municipal da Figueira da Foz”.

O “SMS” traduz-se numa intervenção de “banda larga”, isto é, “envolve não só todos os alunos, como também os seus pais e encarregados de educação, professores e outros profissionais das escolas e ainda técnicos da comunidade que estão directamente relacionados com estabelecimentos de ensino, como, por exemplo, técnicos da autarquia e de centros de saúde”, refere a Universidade.

Para além disso, o projecto inclui ainda uma “forte vertente tecnológica, nomeadamente a plataforma web ‘SMS eSaúde’, desenvolvida com a colaboração de investigadores do Departamento de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

A intervenção é constituída por dois programas, um destinado aos jovens e outro aos educadores. O programa “SMSjovens” é constituído por 10 sessões, aplicadas uma por semana, numa lógica de aprendizagem combinada (presencial e remota). Em cada sessão, com a duração de uma hora, são trabalhadas e treinadas competências baseadas na terapia cognitivo-comportamental, que se têm revelado eficazes na prevenção e tratamento de muitos problemas de saúde mental na adolescência, designadamente o ‘mindfulness’ (atenção plena) e autocompaixão. As 10 sessões que compõem o programa “SMSeducadores” visam “promover competências de comunicação, de resolução de conflitos e de suporte emocional, entre outras, de modo a impactar positivamente na qualidade da relação com os adolescentes”.

“Por exemplo, trabalha-se a relação entre pensamentos, comportamentos e emoções, são dinamizadas actividades de lazer para melhorar o estado de humor, treinam-se aptidões de comunicação positiva e de resolução de problemas”, esclarece a coordenadora do projecto, Ana Paula Matos.

“Trata-se de uma intervenção preventiva, multinível e baseada em evidência científica. O projecto SMS tem a sua origem num outro anterior, desenvolvido por esta mesma equipa, onde foram testados programas de prevenção da depressão, para adolescentes e pais, em 27 escolas portuguesas”, acrescenta a docente da FPCEUC e investigadora do Centro de Investigação em Neuropsicologia e Intervenção Cognitiva-Comportamental (CINEICC).

Por seu turno, Rosário Pinheiro, outra das investigadoras do projecto, sublinha que “a característica de ‘banda larga’ torna o projecto inovador. Por outro lado, é uma intervenção que aposta fortemente na vertente tecnológica. A plataforma web ‘SMS eSaúde’, destinada não apenas aos participantes no programa, mas também à população em geral, contém conteúdos relacionados com saúde mental (por exemplo, vídeos, jogos, áudios sobre ‘mindfulness’ e compaixão, fóruns, bancos de informação sobre linhas de apoio e serviços de acompanhamento psicológico)”.

Além disso, sustentam Ana Paula Matos e Rosário Pinheiro, que o projecto vai “deixar raízes, ou seja, as escolas que vão ser sujeitas a esta intervenção ficarão capacitadas para poderem continuar a realizar a intervenção SMS”.

Nos programas “SMS” e nos ‘workshops’ “SMS Express” sobre literacia e saúde mental, “incluem-se, ainda, estratégias de educação pelos pares através das quais se capacitam, como ‘mind coachers’, adolescentes e educadores, com o objectivo de estes impactarem noutros adolescentes e educadores, sensibilizando para a necessidade de cuidar da saúde mental, de procurar, receber e dar ajuda e de combater o estigma associado à doença mental”, explicitam.

A equipa, que também integra José Joaquim Costa e Mário Zenha-Rela, explica ainda que os jovens que vão participar na intervenção ‘SMS’ “não têm que ter qualquer tipo de problema relativamente à sua saúde mental. Antes pelo contrário, o objectivo é aumentar a sua resiliência, prevenir a depressão e outras psicopatologias, e sensibilizar para a importância da promoção da saúde mental”.