Coimbra  23 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Exposição sobre “Judeus em Coimbra” inaugurou espaço no Pátio da Inquisição

5 de Julho 2021 Jornal Campeão: Exposição sobre “Judeus em Coimbra” inaugurou espaço no Pátio da Inquisição

A Câmara de Coimbra inaugurou na sexta-feira, dia 2 de Julho, um novo espaço expositivo, com a mostra “Judeus de Coimbra – da tolerância à perseguição”, num local que acolheu no passado o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição.

No mesmo local que já foi espaço de tortura e de cárcere para os chamados cristãos novos (judeus convertidos) até 1821, a mostra, sobretudo composta por painéis informativos, pretende “resgatar e reabilitar a memória das comunidades judaicas” que viveram em Coimbra, por forma a “aprofundar o conhecimento de uma história com contornos ainda pouco precisos”, referiu hoje a Câmara de Coimbra.

“Achámos que era tempo de acabar com o vazadouro que era este sítio”, afirmou, na inauguração, o presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, salientando que esta exposição, cujo fim não está ainda definido, vai dar a “conhecer com maior detalhe os judeus de Coimbra”.

O autarca realçou ainda que, com a requalificação do monumento, que era o refeitório do Antigo Colégio das Artes, fica disponível um novo espaço expositivo da cidade.

Na exposição, estão presentes alguns objectos de culto cedidos pela colecção da Comunidade Israelita de Lisboa, algumas moedas e cerâmicas antigas, mas sem relação com os judeus.

“Infelizmente, temos muito pouco património judaico”, notou a técnica superior do departamento de museologia da Câmara de Coimbra e curadora da exposição, Berta Duarte.

Apesar disso, a responsável apontou para uma cabeceira de sepultura com uma estrela de cinco pontas, cedida pelo Museu Nacional Machado de Castro e nunca antes exposta, que suspeita poder ser do antigo cemitério judaico de Coimbra, tendo sido recuperada aquando da intervenção do Estado Novo na Alta da cidade.

“Tenho esperança que um dia se possa associar ao cemitério judaico”, disse, salientando que, no entanto, por agora, é apenas uma suspeita e nada mais do que isso.

Para Berta Duarte, há um simbolismo no facto de se inaugurar a exposição sobre a vida dos judeus em Coimbra ao longo dos séculos no local onde funcionou o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição de Coimbra, que teve jurisdição sobre todo o Centro e Norte do país até ao início do século XIX, quando aquela instituição da Igreja Católica foi extinta.

“Os judeus estiveram aqui muitos séculos e é uma história que se perdeu praticamente toda”, notou.

A exposição, com painéis informativos em formato bilingue (português e inglês), pode ser visitada entre terça-feira e sábado, das 13h00 às 18h00.