Coimbra  23 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Exposição que recorda incêndios de Outubro de 2017 vai ser inaugurada em Côja

24 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Exposição que recorda incêndios de Outubro de 2017 vai ser inaugurada em Côja

A exposição colectiva “15 – Três Anos Depois”, e que será inaugurada a 23 de Outubro, em Côja, Arganil, pretende debruçar-se sobre os três anos após os grandes incêndios de Outubro de 2017, com fotografias, uma paisagem sonora e depoimentos.

A mostra, que estará patente na Casa da Criança (Côja), vai juntar 15 fotografias de 13 pessoas, uma pequena parte de fotógrafos profissionais, e a maioria de pessoas da região afectada pelos incêndios daquele Outono, que provocaram a morte a 50 pessoas, afirmou hoje à agência Lusa a organizadora do evento, Rita Martins.

Nas fotografias nunca está “o fogo”, mas tanto há obras que procuram “retratar o imediato pós-fogo, que abarcam o sentimento de perda, de dor, mas também de espanto perante a destruição”, como outras que “acompanham estes três anos, seja as acções de reflorestação ou da comunidade aqui presente”, contou a responsável.

Cada fotografia é acompanhada por um excerto do livro “Histórias do Fogo – Retratos de Heróis com Rosto”, de Rita Martins, que vive em Barril de Alva, em Arganil, e que também perdeu tudo com o incêndio.

Para além disso, a autora e promotora da iniciativa pediu a cada fotógrafo para lhe descrever a história de cada fotografia, que é interpretada por pessoas ligadas ao teatro, num vídeo que também estará presente na exposição.

No evento, será ainda possível escutar um trabalho sonoro de Luís Antero, também da região, com uma captação sonora já este ano no Vale da Maceira, que também foi fustigado pelo fogo de 2017, onde mostra “um cenário sonoro completamente diferente, com uma paisagem que é de vida”, contou a responsável pela exposição.

As fotografias estarão à venda, sendo que toda a verba arrecadada será direccionada para associações nomeadas pelos fotógrafos.

A exposição vai ser itinerante, passando depois por Tábua e Oliveira do Hospital, estando ainda por confirmar outros locais, acrescentou.

No dia da inauguração, a 23 de Outubro, haverá também um debate, intitulado “15 – Três Anos Depois”, com a participação da vereadora da Câmara de Arganil, Érica Castanheira; do deputado municipal de Tábua, Víctor Melo; de Bárbara Sá e Wendy Howard, da associação ARBOR Benfeita; e da activista Guida Marques.

A exposição conta com o apoio das autarquias de Arganil, Tábua, União de Freguesias de Côja e Barril de Alva, Wildlings e os Escuteiros de Côja.