Coimbra  17 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Estudos da UC sobre esquizofrenia e doença bipolar premiados

29 de Maio 2019

Nuno Madeira (esquerda) e João Valente Duarte (direita)

 

Os “Janssen Neuroscience RWE Awards” 2019, que premiam trabalhos científicos na área clínica da psicose, distinguiram, recentemente, dois estudos desenvolvidos na Universidade de Coimbra sobre esquizofrenia e doença bipolar.

As duas equipas de investigadores da UC mereceram destaque pelas investigações “Biomarcadores de neuroimagem em fases iniciais da doença mental grave – esquizofrenia e doença bipolar” e “Treatment-resistant schizophrenia: clinical outcomes & predictors of response to clozapine”. Os estudos foram desenvolvidos por equipas do Coimbra Institute for Biomedical Imaging and Translational Research (CIBIT), do Instituto de Psicologia Médica (ambos da Faculdade de Medicina da UC) e do Centro de Responsabilidade Integrado (CRI) de Psiquiatria do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

João Valente Duarte, Nuno Madeira, Ricardo Martins, Gabriel Costa e Miguel Castelo-Branco, do CIBIT, são os autores do trabalho “Biomarcadores de neuroimagem em fases iniciais da doença mental grave – esquizofrenia e doença bipolar”, que conquistou o primeiro prémio na categoria “Séries Clínicas”.

A investigação foi desenvolvida no âmbito do projecto nacional “PAC/MedPersyst”, coordenado por Miguel Castelo-Branco, que “procura identificar biomarcadores de imagem, genéticos e bioquímicos em doenças neuropsiquiátricas e neurodegenerativas”, revela a UC, adiantando que já permitiu “identificar (através de técnicas informáticas de análise de ressonância magnética) características específicas da esquizofrenia e da doença bipolar, aumentando o conhecimento sobre como estas enfermidades afectam o cérebro”.

A identificação desses biomarcadores poderá, assim, “ajudar os clínicos a melhores diagnósticos na fase inicial destas doenças (período em que é difícil a sua distinção na prática clínica, sobretudo quando predominam sintomas psicóticos na doença bipolar)”, sublinha.

Já o segundo prémio da mesma categoria foi entregue ao trabalho “Treatment-resistant schizophrenia: clinical outcomes & predictors of response to clozapine”, de Verónica Carvalho, Vítor Santos, Maria João Martins, David Mota, Alexandre Mendes, António Bajouco e Miguel Bajouco.

Verónica Carvalho, aluna do sexto ano de Medicina da FMUC, desenvolveu este estudo, com pacientes de esquizofrenia com resistência ao tratamento de primeira linha, no âmbito da sua tese de Mestrado Integrado em Medicina.

O trabalho premiado demonstrou que “há vantagens em implementar serviços clínicos especializados, como aquele em que decorreu o estudo – a Unidade de Cuidados Avançados na Esquizofrenia Resistente ao Tratamento do CRI de Psiquiatria do CHUC –, no tratamento deste tipo de situações”, esclarece.

A equipa de investigação da FMUC e do CHUC, coordenada por Miguel Bajouco, conseguiu também “identificar características clínicas e biológicas associadas a uma melhor resposta à clozapina (a única alternativa ao tratamento de primeira linha)” e os “resultados alcançados poderão ajudar a compreender de modo mais preciso os mecanismos da doença e conduzir ao desenvolvimento de estratégias de tratamento personalizado, permitindo melhorar a situação clínica e o funcionamento psicossocial destes doentes”.
Instituídos pela Janssen-Cilag Farmacêutica, os “Janssen Neuroscience RWE Awards” têm como objectivo promover a investigação na área clínica da psicose.

2.º Prémio -

Alexandre Mendes, António Bajouco, Verónica Carvalho, Miguel Bajouco, David Mota (da esquerda para a direita)

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com