Coimbra  18 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Estátua de Fernão Mendes Pinto será parte de circuito de visita em Montemor-o-Velho

7 de Junho 2023 Jornal Campeão: Estátua de Fernão Mendes Pinto será parte de circuito de visita em Montemor-o-Velho

A Câmara Municipal de Montemor-o-Velho vai construir uma estátua de bronze em homenagem ao mercador e aventureiro Fernão Mendes Pinto, que vai fazer parte de um circuito de visitação na vila.

O percurso será feito a partir da estátua que vai ficar situada na praça ao lado do Convento de Nossa Senhora dos Anjos.

Vai haver um “conjunto de peças e um conjunto de experiências sensoriais”, num percurso de Fernão Mendes Pinto na vila, revelou esta quarta-feira, na inauguração do Centro Interpretativo, o presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Emílio Torrão.

De acordo com o autarca, aquele monumento irá ter uma narrativa e cada narrativa tem um segmento das peregrinações. “Esses segmentos vão-se fragmentar, vão ser espalhados” e explicados ao longo da vila de Montemor-o-Velho.

A estátua, com três metros de altura, vai ter um código QR com informação escrita em várias línguas e o circuito terá “realidade aumentada”.

A ideia é “tirar as pessoas do Castelo para aqui [para a vila], depois para o Museu. Do museu, gostava que as pessoas visitassem Montemor”, explicou Emílio Torrão.

Esta é a forma de “animar o centro histórico da vila de Montemor-o-Velho”, incentivando a que haja “surgimento de oportunidades de negócio”.

“Queremos que, através de Fernão Mendes Pinto, as pessoas circulem na vila e que tenham um circuito onde poderão obter um tipo de informação diferente”, acrescentou.

No futuro, após a conclusão da obra do museu, a ideia é criar um bilhete único, pago, para que as pessoas possam visitar o Castelo, visitar este percurso, o museu e ainda o Centro Interpretativo.

Segundo a Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Fernão Mendes Pinto nasceu, em 1510, e viveu, em Montemor-o-Velho, até aos 10 ou 12 anos, tendo partido para Lisboa em finais de 1521.

O mercador, soldado, embaixador, viajou intensamente entre a Índia e a China, dizendo-se um dos primeiros ocidentais a chegar ao Japão.