Coimbra  28 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Espectáculo percorre a “Alta” e “Baixa” de Coimbra

14 de Junho 2017 Jornal Campeão: Espectáculo percorre a “Alta” e “Baixa” de Coimbra

A companhia ‘Circolando’ estreia, hoje, pelas 19h00, o seu espectáculo “Derivas: Coimbra”, que se propõe a percorrer a “Alta” e a “Baixa” da cidade, à descoberta das mais diversas histórias e memórias.

O percurso de três horas, com direito a bifanas pelo meio e um concerto no fim, vai andar “entre a ‘Alta’ e a ‘Baixa’”, em que se para e se entra “em sítios onde acontecem pequenas peças de teatro”, revelou André Braga, um dos directores artísticos, à agência Lusa.

“A ideia do projecto é descobrir o que está por trás dos muros, do espaço devoluto, que está esquecido, que não se vê no dia-a-dia”, sublinhou, referindo que ao longo dos caminhos pelos quais vão ser guiados sete grupos de 25 pessoas vão surgir “manchas, muros, abandono” e camadas de “histórias e memórias acumuladas”.

O ponto de encontro é o largo do Romal, na “Baixa”, sendo que os sete grupos fazem um circuito com a ajuda de um guia, parando depois em lugares específicos onde se desenrolam pequenas peças de cerca de 15 minutos, que misturam teatro, música e dança.

A rua Velha; rua da Louça; rua Direita; pátio da Inquisição ou a Misericórdia são alguns dos espaços por onde o projecto vai andar.

No final, há, ainda, possibilidade de assistir a uma instalação vídeo e um concerto dos BØDE.

No projecto participam também vários conimbricenses, seja músicos (como o grupo ‘Segue-me à Capela’) ou pessoas que fazem parte do Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra.

“Aqui surge em grande evidência as noções de estratos e camadas e a certeza de uma cidade com vários metros de profundidade”, refere a sinopse do espectáculo, realçando que “estão para perdurar os ecos de distinção antiga entre a ‘Alta’ e os arrabaldes”.

Para o ‘Circolando’, o projecto é, acima de tudo, um desafio lançado para se caminhar num percurso alternativo e se descobrir “uma outra cidade”, um passeio ao redor de muros “visíveis ou invisíveis”.

O espectáculo é coproduzido pela ‘Circolando’, pelo Convento de São Francisco e pela Câmara Municipal de Coimbra. A peça não é aconselhável a pessoas com mobilidade reduzida.

O “Derivas: Coimbra” arranca hoje mas prolonga-se até ao próximo domingo (18) – à excepção de sábado -, com sessões de entrada gratuita.