Coimbra  17 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Escolas da Figueira da Foz distinguidas como referência na protecção das crianças

13 de Maio 2021 Jornal Campeão: Escolas da Figueira da Foz distinguidas como referência na protecção das crianças

Escolas da Figueira da Foz receberam, ontem (12), numa cerimónia nacional, cinco distinções Selo Protector por acções desenvolvidas, tornando o concelho o mais premiado do país.

As iniciativas foram desenvolvidas no Agrupamento de Escolas Figueira Mar e Figueira Norte, na Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Escola Profissional da Figueira da Foz e no Instituto Tecnológico e Profissional da Figueira da Foz (INTEP).

“A Figueira da Foz foi o concelho com mais escolas premiadas e por isso é que a escolhemos como um grande exemplo a ser seguido no país e a escolhemos também para receber a cerimónia”, afirmou a presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ), Rosário Farmhouse.

A dirigente adiantou ainda que o Selo Protector “vem ajudar a colocar o foco na prevenção e na preocupação do risco e do perigo” e que é atribuído a entidades que tenham “políticas pro-activas” no que diz respeito aos maus tratos nas crianças e jovens.

O presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, referiu que se sente “orgulhoso” e que a distinção reflecte o “esforço que tem sido feito para a equidade entre todos”.

Não obstante, acrescentou que os dois restantes agrupamentos “também reúnem as condições necessárias” para serem distinguidos com o Selo Protector e que se podem candidatar para esse mesmo efeito.

“Temos um projecto para todos, não queremos que ninguém, nunca, fique para trás”, salientou o autarca, ao agradecer o trabalho realizado pelas várias entidades em prol dos mais desfavorecidos.

Tendo salientado que para a autarquia “os Direitos Humanos são importantes, assim como a igualdade de oportunidades”, Carlos Monteiro disse ainda que a distinção reflecte também a “preocupação que a educação” representa no orçamento da Câmara Municipal, que, este ano, corresponde a 14 milhões de euros, de um total de 70 milhões.