Coimbra  8 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Escola de Hotelaria distinguida pela Fundação EDP

8 de Junho 2017 Jornal Campeão: Escola de Hotelaria distinguida pela Fundação EDP

A 7.ª edição do projecto “Escolas Solidárias Fundação EDP” já terminou e entre as vencedoras está a Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra (EHTC), que foi distinguida na categoria “Super Escola Solidária 2016/17”.

A EHTC venceu a categoria por ter, em simultâneo, no mínimo, três inscrições no Escolas Solidárias; ter 70 por cento de grau “distinções” (incluindo Revelação) no seu historial de participação; demonstrar elevada performance e uma postura de inovação/melhoria contínua.

Em mais de quatro centenas de candidaturas, apenas 10 foram reconhecidas com esta distinção, sendo que a Escola de Hotelaria de Coimbra foi a única do distrito.

O cantor conimbricense André Sardet é o padrinho desta Escola no âmbito desta iniciativa, que tem como desafio “promover a cidadania activa e solidária, cuja base são os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas”.

“Este programa, constituindo uma ferramenta agregadora dos projectos solidários das escolas ou agrupamentos, assenta no facto dos projectos desempenhados por cada escola serem resultantes dos esforços realizados por alunos e professores na identificação das necessidades reais das suas comunidades, na avaliação de respostas possíveis e no desenho de planos de acção passíveis de serem desenvolvidos ao longo do ano lectivo”, salienta a Fundação EDP.

A ideia é que o trabalho se inicie na escola, mas que tenha potencial para contagiar toda a comunidade envolvente, pelo que o projecto da EHTC, desenvolvido ao longo do ano, possibilitou este reconhecimento e motiva a instituição a “lançar sementes de transformação social em idade escolar, na medida em que este constitui um desafio estimulante e, sobretudo, uma promessa de futuro que a EHTC quer manter”, revela.

Ao longo do ano lectivo participaram 433 escolas, quer públicas e privadas, do 2.º ciclo ao ensino secundário, unidas na promoção da cidadania activa e da solidariedade. Foram desenvolvidos projectos, que envolveram a participação de mais de 50 000 alunos e professores, e representaram um investimento de mais de três milhões de horas em acções com impacto directo na melhoria das condições de vida de mais de 245 000 pessoas das suas comunidades.

Em termos de intervenção, os elementos da comunidade escolar foram desafiados a serem agentes de mudança positiva, contribuindo para a melhoria de situações identificadas nas suas comunidades em áreas como a “Pobreza e Fome”; “Desemprego/ sustentabilidade económica”; “Educação / Literacia”; “Saúde”; “População Sénior”; “Conviver com a diferença”; e “Sustentabilidade Ambiental e Parceria global para o desenvolvimento humano”, em linha com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, da Organização das Nações Unidas.

Segundo Margarida Pinto Correia, directora de Inovação Social da Fundação EDP, “esta edição fica marcada pela inclusão de escolas das ilhas no projecto”.

A 7.ª edição do “Escolas Solidárias Fundação EDP” reuniu, na passada semana, mais de 800 alunos e professores de todo o país, em Lisboa.