Coimbra  18 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

ESAC participou no Congresso Mundial de Agricultura Biológica

21 de Setembro 2021 Jornal Campeão: ESAC participou no Congresso Mundial de Agricultura Biológica

A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Coimbra (ESAC-IPC) foi, no âmbito do projecto LIVESEED, a única entidade portuguesa a garantir presença física no Congresso Mundial de Agricultura Biológica que teve lugar em Rennes, França.

No congresso, esteve Pedro Mendes-Moreira, docente e investigador da instituição de ensino superior, que teve a oportunidade de participar na pré-conferência “Embaixadores de Sementes: Construção de uma rede Internacional para de Promoção do Desenvolvimento de Sistemas de produção de Sementes para Agricultura Biológica”, de fazer a apresentação de duas comunicações orais e de moderar uma das sessões.

Refira-se que o Congresso Mundial de Agricultura Biológica se realiza de três em três anos e nele estiveram 1.800 participantes online, e quase 400 presencialmente, de um total de 50 países diferentes. Foram realizadas 180 sessões com mais de 300 autores e oradores nas sessões plenárias. Esta edição apresentou um formato híbrido, tanto presencial como digital, e permitiu, apesar das actuais condições de pandemia, por intermédio das plataformas criadas para o efeito, manter o maior encontro de agricultura biológica do mundo, assim como a interação e a inclusão dos participantes.

“Os desafios para a Agricultura Biológica, quer para o mundo quer para a Europa, continuam bem presentes e a Escola Superior Agrária de Coimbra está constantemente presente nesses desafios e na procura de soluções, quer através da investigação que realiza, quer através dos seus embaixadores, que são os nossos alunos de Agricultura Biológica”, salienta Pedro Mendes-Moreira, que chama ainda a atenção para o objectivo da Comunidade Europeia que determina que “Até 2030, pelo menos 25% da área agrícola da Europa, deverá estar convertida para Agricultura Biológica, sendo que para ser atingido este objectivo “100% da semente deve ser semente biológica até ao ano de 2036”.