Coimbra  8 de Dezembro de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Equipa da UC realiza estudo inédito nas artes performativas

7 de Outubro 2022 Jornal Campeão: Equipa da UC realiza estudo inédito nas artes performativas

Uma equipa de investigadores do Centro de Estudos Interdisciplinares da Universidade de Coimbra (CEIS20) vai realizar um estudo sobre práticas ecológicas e sustentáveis nas artes performativas em Portugal.

Este projecto, apoiado pela Direcção-Geral das Artes (DGArtes), tem como objectivo relacionar os modos de criação e produção artística com as crescentes exigências de sustentabilidade social e ambiental e analisar as políticas públicas nestes domínios.

O estudo “Práticas ecológicas e sustentáveis nas artes performativas em Portugal” integra-se num plano de investigação mais amplo – financiado através do concurso para projectos exploratórios da Fundação para a Ciência e a Tecnologia – que explora o impacto das questões da sustentabilidade ambiental nos processos de produção cultural.

Este projecto de investigação desenvolvido pelo CEIS20 é a primeira iniciativa que cruza o tema da produção artística e cultural com o crescente envolvimento estratégico da Universidade de Coimbra nas questões da sustentabilidade e é liderado pelos investigadores Fernando Matos Oliveira e Vânia Rodrigues (no quadro da linha de investigação que coordenam – Modes of Production – Performing Arts in Transition [Modos de Produzir – Artes Performativas em Transição] – no CEIS20).

“Num momento em que a urgência e o impacto da crise ambiental e das alterações climáticas se tornam, a cada dia, mais evidentes e mais tangíveis em todas as esferas da vida em sociedade, as artes e a cultura não constituem excepção a este panorama de crescente inquietação e envolvimento, num amplo espectro de discursos e práticas, que inclui tanto tentativas de adopção de modelos de trabalho mais sustentáveis, como iniciativas eco-ativistas ou críticas ao ‘capitalismo verde’ e ao ‘greenwashing‘”, explicam Fernando Matos Oliveira e Vânia Rodrigues.

As conclusões e recomendações do estudo serão tornadas públicas no primeiro trimestre de 2023, através de um relatório em português e inglês, e de acções de disseminação e discussão em diversos pontos do território nacional.