Coimbra  17 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Envidraçamento sem caixilho da Aestech está a mudar a arquitectura moderna

1 de Junho 2023 Jornal Campeão: Envidraçamento sem caixilho da Aestech está a mudar a arquitectura moderna

Cada um imagina o edifício ideal à sua maneira. No entanto, é pouco provável que seja completamente sem janelas ou com pequenas escotilhas. O mais provável é que tenha muito vidro, para que um panorama do mundo exterior se abra através da fachada translúcida.

Os edifícios de vidro são muito impressionantes, mas devido à complexidade do sistema de instalação, raramente são vistos nas nossas cidades. Uma nova tecnologia de envidraçamento sem caixilho da Aestech pode mudar a situação.

Uma fachada de vidro típica consiste em janelas com vidros duplos. E as janelas de vidro duplo são compostas por várias camadas de vidro e uma caixilharia espaçadora, à qual são efectivamente fixadas com um material suave. É a forma como os vidros são fixados numa unidade tradicional de vidro duplo que dificulta a vida de toda a cadeia de construção.

E depois os problemas crescem como uma bola de neve: devido a uma série de dificuldades com as fachadas, os clientes apresentam projectos completamente diferentes. Por isso, é frequente vermos verdadeiros edifícios de vidro modernos não na vida real, mas nas ideias futuristas dos arquitectos.

O problema da tecnologia tradicional de envidraçamento

As camadas de vidro de uma janela convencional com vidro duplo e a caixilharia espaçadora formam câmaras de ar. Estas são necessárias para proporcionar isolamento térmico e protecção contra o ruído da rua. Infelizmente, não desempenham quaisquer outras funções. Dizemos “infelizmente” porque uma das principais funções da fachada é a protecção contra as cargas de vento e neve. E apenas o vidro externo é capaz de lidar com isso. Isto porque, devido à ligação relativamente suave, as camadas de vidro dificilmente interagem e não se ajudam umas às outras.

Assim, para que uma janela de vidro duplo não deixe entrar o vento, o vidro exterior tem de ser espesso e, consequentemente, maciço. O peso da unidade de vidro aumenta e torna-se impossível segurá-la sem estruturas adicionais.

No caso normal, os caixilhos de metal-plástico ou os caixilhos de metal – travessas, postes e aranhas – desempenham o papel de “muletas”. Por outras palavras, os construtores instalam primeiro uma estrutura de postes e travessas e depois preenchem a malha metálica com janelas de vidro duplo. É assim que os terraços e as fachadas de vidro são construídos há muitas décadas. Indústrias inteiras operam com esta tecnologia: fabricantes de janelas, perfis e caixilhos de vidro duplo. Os arquitectos e promotores também têm de incluir consumíveis adicionais nos seus projectos.

Mas familiar não significa óptimo. O sistema de postes e treliças está longe de ser o ideal: demora mais tempo e é mais difícil de instalar, e tem mais pontos de depreciação prematura. No final, acaba por quebrar a estética do projecto. Em vez de uma grande parede de vidro transparente, obtemos uma quantidade incrível de metal que consome a luz natural e estraga a vista do exterior e/ou do interior.

É possível recusar uma armação metálica? Sim, é possível. O que é necessário para isso? Mudar a própria abordagem da tecnologia de envidraçamento!

A tecnologia de envidraçamento sem caixilho como solução completa

Se, em vez de uma estrutura espaçadora convencional, utilizarmos um separador feito de material de pultrusão ultra-resistente (fibra de vidro pré-estirada) e colarmos os vidros neste material rígido, obtemos um novo tipo de unidade de vidro duplo. Esta distribui a carga de vento de forma diferente da unidade de vidro duplo normal, utilizando os vidros interiores para resistir.

Foi exactamente isso que os engenheiros da Aestech fizeram quando inventaram esta tecnologia. Chamaram ao seu know-how uma unidade de vidro duplo de alta resistência. Justifica o seu nome pelo facto de ser significativamente mais forte do que uma unidade de vidro duplo normal. Este factor oferece aos arquitectos e promotores muitas novas oportunidades.

Em primeiro lugar, este tipo de vidro duplo é muito mais leve. Os vidros interiores, que são colados rigidamente, assumem parte do trabalho de protecção contra o vento. Por conseguinte, não é necessário engrossar o vidro exterior, o que torna a embalagem mais leve, dependendo das dimensões. Além disso, há uma poupança de material.

Em segundo lugar, ao contrário do vidro tradicional de alta resistência, é autoportante. Não precisa de ser apoiado, pois é uma estrutura de suporte. Assim, pode esquecer o custo de uma estrutura metálica, a sua entrega e instalação. A propósito, os fixadores podem ser aparafusados directamente na estrutura de pultrusão.

E depois os benefícios multiplicam-se. Sem metal, o isolamento térmico e acústico, da fachada, aumentam. Há mais espaço e luz solar no interior do edifício. As janelas de vidro duplo de alta resistência proporcionam um reflexo uniforme e bonito, porque o vidro nelas contido dificilmente se dobra devido a alterações de pressão nas câmaras. Uma das características é a capacidade de ligar as janelas de vidro duplo em qualquer ângulo, uma vez que não é necessário ajustar-se aos perfis padrão.

Tudo isto e muito mais se conjuga para criar estruturas de vidro que antes eram inimagináveis. A nova tecnologia só agora está a entrar no mercado internacional para tornar a construção mais fácil e mais amiga do ambiente, sem a necessidade de excesso de alumínio. Lembrem-se de como a comunicação por telemóvel ultrapassou a comunicação por telefone fixo devido às suas inúmeras vantagens. De facto, é o que acontece com qualquer produto: o antigo passa à história e o inovador entra no futuro.