Coimbra  1 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Ensino: Autarcas pedem rede pública através do Instituto de Souselas

12 de Junho 2017 Jornal Campeão: Ensino: Autarcas pedem rede pública através do Instituto de Souselas

A “continuidade de serviço público gratuito de educação e ensino” através do Instituto Educativo de Souselas (INEDS) acaba de ser pedida, ao primeiro-ministro, por autarcas de três freguesias de Coimbra – Norte.

O pedido consta de uma carta aberta subscrita pelo presidente da União de Freguesias de Souselas / Botão (UFSB), Rui Soares (independente), pelo presidente da Junta de Brasfemes, João Paulo Marques (independente eleito pelo PS), e pelo presidente da União de Freguesias e Trouxemil / Torre de Vilela, Ricardo Rodrigues (PSD).

O INEDS está implantado em Souselas e não há qualquer estabelecimento de ensino público no território da UFSB nem nos das freguesias vizinhas.

O Instituto Educativo de Souselas alertou, recentemente, para o risco de encerrar, já no próximo ano lectivo, devido à redução da amplitude do contrato de associação outorgado com o Estado. A 17 de Maio, alunos, pais, professores e autarcas manifestaram-se numa marcha lenta, desde a Estação de Coimbra – B até aos Paços do Concelho.

A abertura de novas turmas de início do segundo e terceiro ciclos do ensino básico e do 10º. ano, a par de “garantia do financiamento, interrompido no ano anterior, das turmas dos restantes anos lectivos”, são duas das medidas preconizadas por Rui Soares, João Paulo Marques e Ricardo Rodrigues.

Os três autarcas solicitam a António Costa que diligencie no sentido de o Ministério da Educação assegurar aos alunos do INEDS e às respectivas famílias as mesmas condições de frequência que existem, por exemplo, nas escolas básicas 2,3 de Ceira e de S. Silvestre, porquanto o Estado nunca construiu a projectada Escola Preparatória e Secundária de Souselas.

No preâmbulo da carta aberta destinada a sensibilizar o chefe do Governo, Soares, Marques e Rodrigues assinalam ser o INEDS “uma escola de ensino gratuito”, abrangida, há 24 anos, por contrato de associação (paralelismo pedagógico).

De acordo com os autarcas, trata-se de “uma escola completamente inclusiva, onde não é feita qualquer selecção de alunos e que tem cerca de 39 por cento de estudantes carenciados”. Acresce, segundo eles, que o INEDS possui “um corpo docente estável, com cerca de 60 trabalhadores”.

Rui Soares, João Paulo Marques e Ricardo Rodrigues terminam a missiva dizendo que, ao abrigo de contrato de associação, o Instituto Educativo de Souselas “poupa cerca de 90 000 euros por ano, em transportes escolares, à Câmara Municipal de Coimbra”.