Coimbra  12 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Encontro Nacional de RISCOS decorrerá na Faculdade de Letras da UC

22 de Abril 2021 Jornal Campeão: Encontro Nacional de RISCOS decorrerá na Faculdade de Letras da UC

O XIV Encontro Nacional de RISCOS, subordinado ao tema “Risco de cheias e risco de inundações fluviais: Aprender com o passado” irá ter lugar nos dias 16 e 17 de Julho de 2021, no Teatro Paulo Quintela, da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

A sua organização está a cargo da Associação Portuguesa de Riscos, Prevenção e Segurança (RISCOS), em colaboração com o Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território (CEGOT) e a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC).

Conta ainda com o apoio institucional da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, da Escola Nacional de Bombeiros, do Serviço Regional de Protecção Civil da Madeira e do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, prevendo-se uma grande participação de investigadores e académicos, bem como de operacionais dos diversos agentes de protecção civil.

O programa do dia 16 de Julho conta com duas conferências, uma de abertura e a outra de encerramento do evento, a proferir por reputados especialistas, respectivamente intituladas “Contributos do Laboratório de Hidráulica da Universidade de Coimbra para o estudo das cheias do Mondego”, por José Alfeu Sá Marques, coordenador do Laboratório de Hidráulica, Recursos Hídricos e Ambiente do Departamento de Engenharia Civil, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e “Análise dos impactes das grandes cheias do Mondego nos últimos 700 anos”, por João Pardal, investigador do CEGOT da Universidade de Coimbra.

Um terceiro ponto alto do programa consiste na realização, durante a tarde do dia 16, de uma Mesa Redonda subordinada ao tema “Desafios à gestão do risco de cheias para evitar/reduzir o risco de inundações no Baixo Mondego“, na qual se procurará estabelecer um profícuo diálogo entre as principais entidades responsáveis não só pela gestão da bacia hidrografia e dos seus caudais, tendo em conta as necessidades do amortecimento das pontas de cheia a par da produção de energia, mas também pelas acções de protecção civil e de requalificação das áreas afectadas pelas plenas manifestações do risco de cheias que se materializa nas consequentes inundações.

O Encontro constituirá também um curso de formação acreditado para professores, com efeitos para progressão na carreira, e em que visará dotar o corpo docente de conhecimentos técnico-científicos e de práticas pedagógicas de educação para a redução dos riscos e sua transposição para o contexto da sala de aula, com o intuito de sensibilizar a população escolar para a necessidade da adequada gestão de caudais, bem como para a importância do ordenamento do território para a redução do risco de inundações fluviais.

Na manhã do dia 17 de Julho, os professores participarão numa visita técnica pedonal à área ribeirinha da Baixa de Coimbra, aberta a todos os participantes, para observação in situ de alguns locais afetados por manifestações recentes do risco de inundação, tanto em termos das consequências que ocasionaram, como das alterações que foram sendo introduzidas na paisagem ribeirinha.

Durante a parte da tarde, realizar-se-á um workshop para professores, para transposição didáctico-pedagógica dos conteúdos científicos para o contexto de sala de aula.

Deste modo, este evento visa colocar a comunidade científica, bem como os agentes de protecção civil, os órgãos de soberania regionais/locais, os professores dos ensinos básico e secundário e a população em geral, a reflectir sobre o que fazer em situações de catástrofe provocadas pelas plenas manifestações do risco de cheia e do consequente risco de inundação fluvial, aprendendo com o passado para melhorar o presente e o futuro, tomando consciência de que a intensidade destes eventos hidrológicos excecionais poderão aumentar no futuro, afetando um número crescente de pessoas e bens.