Coimbra  17 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Eco Escola – EPTOLIVA reforça plano de desenvolvimento sustentável

12 de Abril 2022 Jornal Campeão: Eco Escola – EPTOLIVA reforça plano de desenvolvimento sustentável

A EPTOLIVA – Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil realizou o Conselho Eco-Escolas 2021/2022, que pretendeu dar a conhecer o conjunto de acções e actividades de Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) que têm vindo a ser desenvolvidas no presente ano lectivo, com particular foco nos temas base, energia, água e resíduos, mas também a mobilidade, floresta, ruído, biodiversidade e a alimentação saudável e sustentável. Neste contexto destaca-se a participação da EPTOLIVA no concurso “Recicla +”, promovido pela Sociedade Ponto Verde; no Programa “Biobairros – da Terra à Terra”, projecto piloto implementado nos Municípios de Tábua e de Oliveira do Hospital que objectiva o tratamento de biorresíduos por compostagem, bem como o concurso “Segue a Tua Natureza”, promovido pela Associação Portuguesa de Turismo em Espaços Rurais. Estas e outras acções têm vindo a consolidar a parcela da EPTOLIVA no tema eco deste ano “Biodiversidade: Preservar e regenerar espaços exteriores”, com a sua participação em acções de plantação de espécies autóctones no âmbito do projecto “F4F – Forest For Future”, que propõe a valorização da fileira florestal da região centro de Portugal e, com as mais recentes iniciativas de Plogging, realizadas na vila de Tábua e na cidade de Oliveira do Hospital, onde a recolha de lixo se associa à prática de desporto ao ar livre.

Com estas iniciativas, o EPTO-ECO-ESCOLA pretende dar continuidade à sensibilização para a problemática ambiental e para a contribuição e envolvência de todos, na construção de um planeta mais sustentável, fomentando a reciclagem, desenvolvendo o espírito de solidariedade e de entreajuda na comunidade, ainda mais agora que os recentes acontecimentos trazidos pela guerra na Ucrânia, reclamam uma preocupação acrescida para os recursos alimentares e energéticos do planeta, como referiu Graça Silva, Vereadora da Educação do Município de Oliveira do Hospital, concluindo que “a escola é o local privilegiado para iniciar os alunos nesta importante missão e os potenciais transmissores de bons procedimentos ambientais a nível das famílias e suas comunidades”.

A EPTOLIVA aderiu ao programa Eco-Escolas em 2008 e desde o ano lectivo 2015/2016, ano após ano, tem vindo a ser distinguida pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE/FEE) com a atribuição da Bandeira Verde, pela qualidade das actividades pedagógicas que tem desenvolvido na área da Educação Ambiental e pela forma como tem implementado uma Gestão Ambiental na Escola orientada para a sustentabilidade, em especial em termos de poupança de energia, de gestão de resíduos e de estabelecimento de parcerias com organizações que intervêm na área ambiental.

Para além do apoio das Entidades da Comissão Nacional, na EPTOLIVA este projecto conta ainda com várias parcerias locais, nomeadamente dos Municípios de Oliveira do Hospital e de Tábua, tendo ainda estado presentes neste conselho a ARCIAL – Associação para a Recuperação de Crianças Inadaptadas de Oliveira do Hospital, a ADIBER – Associação de Desenvolvimento Integrado da Beira Serra, a CAULE – Associação Florestal da Beira Serra e a BLC3 – Campus de Tecnologia e Inovação.

Daniel Dinis Costa, presidente da Direcção da ADEPTOLIVA, reconheceu o trabalho desenvolvido pelos alunos, professores e os vários parceiros institucionais, fundamentais para o alcance desta missiva educativa, reforçando ainda a importância, “não apenas da sensibilização das questões ambientais, mas da realização de acções concretas desenvolvidas pelos alunos e por toda a comunidade educativa, que possam proporcionar a tomada de consciência, para a Sustentabilidade Energética, Ambiental, e/ou a Mobilidade Sustentável, reforçando a implementação da consciência crítica para problemáticas importantes como a água e a crise alimentar. Simples atitudes individuais podem, no seu conjunto, melhorar o ambiente global. Se os alunos são o nosso futuro, é sobretudo, do seu empenho nesta missão, que dependerá a sustentabilidade e o futuro do planeta”, disse.