Coimbra  9 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Docente da ESEC integra Comissão Europeia como perita especialista avaliadora

18 de Junho 2021 Jornal Campeão: Docente da ESEC integra Comissão Europeia como perita especialista avaliadora

Sónia Brito Costa, docente na Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC) e coordenadora do Núcleo de Investigação em Ciências Sociais e Humanas da ESEC, vai integrar, enquanto perita especialista avaliadora, a Direcção-Geral da Justiça e dos Consumidores da Comissão, a partir do próximo dia 30 de Junho.

Esta convocatória da Comissão Europeia surge na sequência da sua participação enquanto perita na Agência Europeia de Investigação – Research Executive Agency, desde Janeiro de 2019.

A Direcção-Geral da Justiça e dos Consumidores da Comissão Europeia é responsável pela implementação, monitorização política e aplicação de programas de financiamento da União Europeia (UE) em matéria de justiça, direitos humanos fundamentais, direitos dos consumidores e igualdade entre homens e mulheres. O papel do órgão é garantir que toda a UE seja um espaço de liberdade, segurança e justiça. Assenta nos valores da dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de direito e do respeito pelos direitos humanos, incluindo os direitos das pessoas pertencentes a minorias.

As actividades implementadas no âmbito desta directoria vão garantir consistência, complementaridade e sinergias com programas de financiamento que apoiam áreas de políticas com ligações estreitas com o Programa Cidadãos, Igualdade, Direitos e Valores. Estes incluem: o programa Justiça, o Fundo de Asilo, Migração e Integração, Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, Programa Europa Criativa e Erasmus +, que concretizam o potencial dos cruzamentos culturais nos campos da cultura, media, artes, educação e criatividade; o Fundo Social Europeu + no domínios do emprego e da luta contra a exclusão social, e o Horizonte Europa programa no domínio da investigação sobre democracia, governação, valores da UE e questões sociais e transformações económicas, e  devem respeitar e ser implementadas em  conformidade com os direitos e princípios consagrados na Carta dos Direitos Fundamentais do União Europeia. Devem igualmente promover e apoiar a integração de género, a integração dos direitos da criança e da integração da não discriminação.

A alocação orçamental prevista pela directoria para distribuição pelos vários mecanismos de financiamento é de cerca de 91 milhões de euros para 2021 e de cerca de 200 milhões de euros em 2022.