Coimbra  17 de Novembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Dia e Noite dos Museus de Coimbra é dedicada à arte do ferro

9 de Maio 2019

No próximo dia 18 de Maio celebra-se o Dia Internacional dos Museus e, em Coimbra, o tema central será a arte do ferro.

A ideia é “convidar as pessoas a redescobrirem a presença do ferro forjado e fundido na cidade”, revelou Pedro Casaleiro, membro da Direcção do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, na apresentação do programa dedicado à efeméride mundial.

Depois de no passado ter dedicado o dia à pedra ou ao azulejo, este ano a Coimbra – Rede de Museus apostou no tema do ferro, um material que marca a paisagem urbana da cidade. O responsável salientou que, “ao longo dos últimos 400 anos, a paisagem de Coimbra tem sido marcada por esta arte, o que levou o historiador da arte e docente Vergílio Correia a apelidá-la de ‘cidade das grades’”.

Do programa preparado neste dia para celebrar os museus, a Rede organizou dois percursos pedonais – um a começar às 09h30, na Cruz de Celas, e outro às 14h30, no Palácio da Justiça -, “nos quais se vai falar da história da cidade, da arte do ferro e da sua presença em Coimbra, seja em guarnições de portas, gradeamentos, varandas, cata-ventos ou candeeiros”, explicou Pedro Casaleiro.

No pátio do Museu Nacional de Machado de Castro (MNMC) estará patente uma exposição com “uma importante colecção de cata-ventos” da instituição e, na Casa-Museu Bissaya Barreto, será feita uma visita guiada para descobrir a presença do ferro no interior e exterior daquele local.

Ainda nesse dia, realiza-se a reabertura do Edifício Chiado, como anunciou o director do Departamento de Cultura da Câmara de Coimbra, Francisco Paz. Classificado como Imóvel de Interesse Público, este é um dos poucos exemplos da arquitectura do ferro na cidade construído no início do século XX.

Para além das iniciativas dedicadas ao tema central, haverá estátuas vivas na rua de Ferreira Borges a recriar obras de arte da colecção de Telo de Morais, visitas ao Museu da Santa Casa da Misericórdia de Coimbra, a inauguração da exposição “Memórias da China Imperial em Santa Clara de Coimbra”, no Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, concertos, debates e conferências.

No Museu da Ciência, realiza-se uma antevisão da Sala da Biodiversidade de Portugal, que está a ser renovada, e será apresentada a colecção “Amazónia”, da Vista Alegre, que tem como referência as expedições etnográficas de Alexandre Rodrigues Ferreira, no século XVIII. A sessão vai contar com a presença de índios Kayapós.

Durante a noite de 18 de Maio, vários dos espaços que aderiram à iniciativa vão estar abertos até às 00h00, sendo possível subir-se nessa noite à Torre da Universidade de Coimbra ‘A Cabra’ (já a Biblioteca Joanina estará fechada por questões de conservação).

A Coimbra – Rede de Museus é constituída por Câmara Municipal de Coimbra – Museu Municipal; Universidade de Coimbra – Museu da Ciência e Turismo UC; Direcção-Geral do Património Cultural – Museu Nacional de Machado de Castro; Direcção Regional de Cultura do Centro – Mosteiro de Santa Clara-a-Velha; Fundação de Bissaya Barreto – Casa Museu de Bissaya Barreto; Carmelo de Santa Teresa – Memorial Irmã Lúcia; e Santa Casa da Misericórdia de Coimbra – Museu da Santa Casa.

O Dia Internacional dos Museus é celebrado desde 18 de Maio de 1977, por proposta do ICOM – Conselho Internacional de Museus – organismo da UNESCO.

Este ano o tema central escolhido pelo ICOM é: “Os Museus como Centros Culturais: o futuro da tradição”.

Nos vários espaços museológicos, a tradição é a entrada gratuita e um horário de funcionamento alargado, tendo por objectivo que mais pessoas comemorem, visitem e participem nas iniciativas preparadas para comemorar esta data.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com