Coimbra  25 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Desfiliação em massa no CDS-PP em Vila Nova de Poiares

4 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: Desfiliação em massa no CDS-PP em Vila Nova de Poiares

Em carta enviada ao secretário-geral do CDS-PP, 14 dos 20 militantes (70 por cento) de Vila Nova de Poiares desfiliaram-se do partido por considerarem que este “se tornou um clube de amigos e a Comissão Política Distrital de Coimbra uma família”.

Segundo Luís Filipe Santos, a situação que motivou o “bater com a porta” em massa de militantes do CDS-PP de Vila Nova de Poiares é a que descreve:

«Um ano volvido após o último Congresso, nem o presidente do partido nem a secretaria-geral reuniu com as estruturas locais. Num primeiro momento, e de acordo com a explicação facultada pela secretaria-geral, para não melindrar os seus candidatos à Comissão Política Distrital, não se coibindo, no entanto, o primeiro vice-presidente e a primeira eleita ao Conselho Nacional pela lista de Francisco Rodrigues dos Santos (actual presidente do CDS-PP) de marcar presença num jantar de campanha empreendido pela lista que viria a vencer as eleições à Distrital de Coimbra. Este facto determina uma de duas possibilidades: ou o actual presidente é apenas um presidente de transição ou existe, de facto, má fé na relação da Direcção Nacional do CDS-PP na relação com as estruturas locais do partido que não apoiaram Francisco Rodrigues dos Santos quando este se apresentou como candidato ao último Congresso.
A pouco mais de meia dúzia de meses das eleições autárquicas, do coordenador autárquico distrital apenas se sabe que tem meia dúzia de meses de partido sem qualquer experiência autárquica, o coordenador autárquico nacional nem sequer é conhecido pelos militantes e autarcas de Vila Nova de Poiares (tendo passado já um ano da sua eleição). Esta ausência denuncia uma total incapacidade e falta de visão estratégica para o partido no próximo grande embate eleitoral. Nunca foi assim que este grupo de militantes serviu Vila Nova de Poiares e não é agora que isso vai mudar. A disponibilidade para servir Poiares continua acima de qualquer outro tipo de interesse.
O CDS de Vila Nova de Poiares tem o único autarca no distrito de Coimbra eleito em listas próprias do partido e obteve os melhores resultados do distrito no último ato eleitoral (eleições legislativas). Conseguiu manter a tendência crescente que criou nos últimos anos, fruto de trabalho árduo, sério, competente e transparente dos militantes que agora saem.

O Partido, através do seu órgão máximo no distrito (Comissão Política Distrital), marcou reuniões em Poiares, não informando nem envolvendo os dirigentes locais. Deste modo, é evidente que existe, na Distrital de Coimbra do CDS-PP (em sintonia com a Nacional), uma estratégia para o concelho de Vila Nova de Poiares e é também evidente que essa estratégia não conta com a participação daqueles que até aqui deram a cara pelo CDS-PP em Poiares. Se em 2017, pressionados pelo coordenador nacional autárquico para uma coligação com o PSD a resposta foi não, tendo sido transmitido à Direcção Nacional que a coligação a existir não contaria com nenhum dos militantes de Poiares nas listas. Passados 4 anos, o partido parece não se ter apercebido que em Poiares a decisão tomada foi a correcta e volta a estar mais preocupado com o PSD.

Também a Distrital da Juventude Popular, pelo seu presidente (e actual vice-presidente da Distrital do CDS-PP de Coimbra), tentou criar cisões na estrutura local, chegando mesmo a incitar por diversas vezes que esta estrutura local da JP assumisse posições contrárias à da estrutura local do partido, da qual faziam parte.

São estes os motivos que motivam a nossa indisponibilidade para o CDS-PP, mas que nos redobra a motivação para trabalhar pelo nosso concelho de Vila Nova de Poiares».