Coimbra  10 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Deputados de Coimbra do PS explicam abstenção na Maternidade

15 de Novembro 2019

Os cinco deputados socialistas de Coimbra, que se abstiveram nos projectos de resolução sobre uma nova Maternidade na cidade, consideram que a sua localização deverá ser “em local a definir por uma responsável fundamentação técnica e social”.

Os deputados do Partido Socialista eleitos pelo círculo eleitoral de Coimbra, Pedro Coimbra, João Ataíde, Cristina de Jesus, Tiago Martins e João Gouveia, abstiveram-se, hoje, na votação dos projectos de resolução apresentados pelo BE, PCP e PEV sobre a nova Maternidade de Coimbra, enquanto a restante bancada do PS votou contra estes diplomas.

Durante o debate das iniciativas legislativas sobre esta matéria, o deputado João Gouveia, membro da Comissão Parlamentar de Saúde, defendeu que “o Hospital dos Covões não poderá ser objecto de qualquer tipo de desmantelamento”.

“Antes pelo contrário, deverá ter condições para assegurar e reforçar várias respostas de Saúde essenciais”, sublinhou, considerando que “constitui um imperativo a aposta na prossecução de um programa de investimentos que potencie uma utilização eficaz da sua capacidade”.

João Gouveia defendeu que as duas maternidades existentes, Daniel de Matos e Bissaya Barreto, são respostas fundamentais para a população do distrito, embora admita que se impõe “uma resposta de futuro adequada ao evoluir dos tempos que passa pela construção de uma nova Maternidade”.

Nesse sentido, para o parlamentar do PS, “até à entrada em funcionamento de uma nova resposta, o que não se verificará no imediato, continuarão a ser estas duas maternidades a assegurar a resposta do SNS ao actual quadro de necessidades, próximo dos 5 000 nascimentos por ano”.

João Gouveia considera, por isso, que devem prosseguir os investimentos nas mesmas, “designadamente, na manutenção dos espaços, na aquisição de novos equipamentos e no adequado reforço do seu quadro profissional”.

“Esta realidade factual, mais do que justifica que o investimento numa nova resposta de Neonatologia e de Obstetrícia, em Coimbra, tenha sido assumido pelo Governo de Portugal, na legislatura anterior, como uma prioridade nacional, com a concordância de todas as Forças Políticas”, referiu.

Quanto à decisão política sobre a localização da nova Maternidade, que se espera venha a ser tomada num prazo curto, o deputado relevou que “ela deverá resultar de uma sólida fundamentação técnica e social, designadamente as conclusões dos estudos solicitados à Escola Nacional de Saúde Publica”.

“Pelos motivos expostos, os cinco deputados de Coimbra eleitos pelo Partido Socialista decidiram abster-se nos projectos de resolução apreciados e votados”, lembrando João Gouveia que “urge tomar decisões e construir a nova Maternidade rapidamente”.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com