Coimbra  2 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Critical Software: Primeiro-ministro confessa dívida de gratidão

23 de Novembro 2016 Jornal Campeão: Critical Software: Primeiro-ministro confessa dívida de gratidão

O primeiro-ministro afirmou, hoje, em Coimbra, que deve à empresa Critical Software “um dos grandes momentos” inerentes ao “orgulho de ser português”.

“É sempre com muito gosto que dou a Critical Software como um exemplo”, acentuou António Costa, cujo primeiro contacto com a empresa na qualidade de governante ocorreu, há 10 anos, quando era titular do Ministério da Administração Interna (MAI).

A sociedade conimbricense foi decisiva, em 2007, para a supressão de fronteiras no âmbito de um alargamento da União Europeia.

“Há milhões de europeus que, então, puderam passar a circular entre países membros da UE”, fez notar o primeiro-ministro português.

A tarefa da supressão de fronteiras estava a cargo de “uma competentíssima” sociedade germânica, que se encontrava a trabalhar em França, mas ela foi incapaz de superar determinados percalços, recordou António Costa, que aludiu ao cepticismo de alguns dirigentes da UE face ao propósito da Critical Software no sentido de superar as dificuldades.

“Talvez o mais céptico tenha sido” Wolfgang Schäuble (ex-homólogo do outrora titular do MAI), gracejou António Costa, em cujo ponto de vista o actual ministro alemão das Finanças “cultiva, há anos, cepticismo em relação às capacidades de Portugal”.

O chefe do XXI Governo concluiu que a Critical Software “voa por si e já chegou ao planeta Marte”.

O empresário Gonçalo Quadros, anfitrião de António Costa, expressou satisfação por receber o primeiro-ministro.

“Gostamos de transpor as fronteiras do que parece impossível”, reconheceu o gestor.

O empresário exortou à construção de uma comunidade aberta, “justa na distribuição da riqueza,” cuja produtividade assente, cada vez mais, no progresso científico e tecnológico.

A Critical define-se como sociedade especializada no “fornecimento de soluções de software para o suporte de sistemas de informação críticos”.

A visita do primeiro-ministro, para dar testemunho do “sucesso da elevada qualificação de talentos”, inscreveu-se no âmbito do Programa “Agenda Mais Crescimento”.

A Critical Software, fundada em Portugal, há 18 anos, orgulha-se de ser “um exemplo de sucesso do espírito empreendedor nacional”.

A empresa opera nos mercados mais maduros de sectores civis e não-civis, como a aeronáutica, espaço, defesa, segurança interna, transportes, telecomunicações, finanças, energia e saúde, entre outros domínios.

Acompanhado pelo ministro da Economia, pelo reitor da Universidade de Coimbra e pelo presidente da Câmara conimbricense, António Costa também visitou a incubadora de empresas do Instituto de Pedro Nunes.