Coimbra  26 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Crise política: Rui Rio imputa desespero a António Costa

5 de Maio 2019

O líder do PSD associou, hoje, o primeiro-ministro a um “acto de desespero” por ocasião da deflagração de uma crise política e considerou que isso se deve à avaliação da campanha para as eleições europeias.

Ao proferir uma declaração em que usou expressões como “truque de ilusionismo” e “golpe de teatro amador”, Rui Rio comparou o desempenho do secretário-geral do PS, António Costa, ao de um jogador que cai sem alguém lhe tocar na expectativa de o árbitro beneficiar a sua equipa assinalando grande penalidade.

Rio disse que o PSD “nada votará que seja diferente do que disse sempre” acerca da contagem integral do tempo de serviço dos professores: “o tempo deve contar todo e cabe ao Governo negociar”.

Segundo o dirigente social-democrata, o seu partido vai “manter, coerentemente, as suas posições sem alteração” sobre o diploma atinente aos professores e apresentar no Parlamento “a inclusão de propostas de salvaguarda financeira” alegadamente rejeitadas pelo PS  na Comissão de Educação.

Quanto ao CDS, Assunção Cristas disse que ele só votará a favor do diploma dos docentes se forem aceites as condições do partido, como sustentabilidade financeira e crescimento económico.