Coimbra  24 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Crioestaminal antecipa o futuro do trabalho e implementa semana de quatro dias

8 de Agosto 2023 Jornal Campeão: Crioestaminal antecipa o futuro do trabalho e implementa semana de quatro dias

A Crioestaminal, laboratório líder em Células Estaminais sediado em Cantanhede, vai participar no projecto-piloto da semana de quatro dias de trabalho, promovido pelo Governo. Durante seis meses, os colaboradores da Crioestaminal vão passar a trabalhar menos horas semanais, mantendo os seus salários e benefícios.

A decisão de implementar a semana de quatro dias reflecte o compromisso da Crioestaminal em inovar não só no que respeita aos serviços prestados aos seus clientes, mas também naquilo que são as condições de trabalho dos seus colaboradores, mantendo sempre a saúde e o bem-estar dos colaboradores e clientes como prioridade. Esta medida representa, assim, um passo importante em direcção a um ambiente de trabalho saudável pautado pelo equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, onde os colaboradores podem prosperar e entregar ainda mais aqueles que neles confiam

“A flexibilidade no trabalho faz, desde sempre, parte da cultura da empresa. Este projecto aparece na altura certa. A Crioestaminal completa 20 anos em 2023 e consideramos que estamos na altura de dar o salto para uma nova forma de trabalhar, que acreditamos ser o futuro no mercado de trabalho. Uma forma que dê mais tempo livre aos colaboradores, para fazerem o que desejarem”, afirma Alexandra Mendes, directora de Recursos Humanos da Crioestaminal.

O economista e coordenador do projecto-piloto, Pedro Gomes, sublinha que ”a Crioestaminal é uma empresa do século XXI, numa indústria do século XXI. Está na fronteira da tecnologia, mas não se acomoda: continua a investir em I&D e a inovar. A sua participação neste piloto atesta esse espírito inovador, que todos queremos para a nossa economia”.

“O trabalho preparatório desenvolvido pela Crioestaminal ao longo dos últimos três meses foi exemplar, sendo notório o esforço de aprendizagem com exemplos internacionais. A diversidade de funções dentro da empresa, desde os laboratórios à parte comercial, gera uma maior complexidade de implementação. A Crioestaminal é um exemplo exímio de como lidar com esta complexidade, oferecendo, em simultâneo, múltiplas soluções para acomodar uma redução da semana de trabalho”, acrescenta Rita Fontinha, co-coordenadora do projecto-piloto e especialista em recursos humanos.

A transição para a redução de horas semanais vai implicar a revisão completa dos processos de trabalho dentro da empresa, o que pode incluir medidas simples, como a optimização da duração das reuniões e do número de participantes, a criação de métodos de trabalho que evitem interrupções ou a adopção de novas tecnologias /softwares.

É necessário repensar e restruturar a forma como o trabalho é realizado para garantir que a mudança para uma semana de trabalho mais curta seja efectiva e sustentável.

Como tal, está a ser desenvolvido um novo modelo de trabalho, com a ajuda da 4 Day Week Global, de forma a melhorar a produtividade diárias e as dinâmicas de trabalho nos próximos meses, sem comprometer o serviço: o laboratório da Crioestaminal vai continuar a funcionar de acordo com uma escala que garante a disponibilidade, durante todos os dias da semana, para receber e criopreservar as amostras dos bebés que nascem.

“Para os nossos clientes nada mudará. Ou, se calhar, muda tudo. Quem guarda as células estaminais na Crioestaminal sabe que está a guardar as células numa empresa que considera que o mais importante são as pessoas e que, ter colaboradores satisfeitos e motivados garante um serviço de qualidade”, acrescenta Alexandra Mendes.

A Crioestaminal acredita que esta iniciativa pode trazer benefícios significativos quer para os colaboradores, quer para a empresa ao nível da produtividade e atracção e retenção de novos talentos.

A semana de quatro dias tem sido amplamente discutida como forma de melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, mas também a produtividade e competitividade das empresas. A iniciativa do Governo é uma das primeiras tentativas de testar essa abordagem em grande escala.

“O projecto piloto da semana de quatro dias significa uma redução dos tempos de trabalho para os trabalhadores, aumentando a sua disponibilidade para investirem na sua formação, na sua vida familiar e nos outros papeis que desempenham na sociedade. A empresa não passa a operar apenas 4 dias, mas organiza-se para novas formas e tempos do trabalho. E as empresas que perceberem esta mudança terão uma vantagem competitiva no mercado de trabalho para atrair e reter talento”, afirma Miguel Fontes, Secretário de Estado do Trabalho”.