Coimbra  5 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CpC debate valorização da floresta que ocupa 45% do concelho de Coimbra

23 de Novembro 2021 Jornal Campeão: CpC debate valorização da floresta que ocupa 45% do concelho de Coimbra

João Malva, Jorge Gouveia Monteiro e João Lucas

 

A necessidade de reconverter muitas das áreas da mancha florestal do concelho, que abrange 45% do território, foi defendida, hoje, pelo movimento Cidadãos por Coimbra (CpC), anunciando um debate a 11 de Dezembro.

Jorge Gouveia Monteiro, coordenador do CpC, considera que “a preservação da floresta exige medidas que garantam a manutenção da biodiversidade local, o que em muitas áreas do concelho se traduz, numa primeira fase, numa necessidade de medidas de reconversão do património natural”.

O CpC esteve na Mata de Vale de Canas, assinalando o Dia da Floresta Autóctone e para anunciar o debate “A Cidade e a Floresta”, a realizar a 11 de Dezembro, pelas 15h00, nos Bombeiros Voluntários de Brasfemes, com a participação de Helena Freitas, Xavier Viegas e Anabela Marisa Azul.

“Propomo-nos fazer um debate alargado onde saiam novas abordagens e medidas de valorização e desenvolvimento da floresta enquanto bem comum”, assim como “uma reflexão sobre contributos do conhecimento científico para esta mudança de paradigma que se exige, relativamente ao uso e usufruto da floresta e a sua comunicação com a cidade”, justifica Jorge Gouveia Monteiro.

O coordenador do CpC destacou que desde o grande incêndio de 2005, a que outros se seguiram, “as florestas de Coimbra têm estado à mercê do mercado desregulado e sem planos concretos para uma recuperação e/ou reconversão para modelos mais sustentáveis do ponto de vista ecológico e resilientes do ponto de vista climático”. “Mas as florestas devem ser, também, um todo que integra uma malha urbana verde, a dita infraestrutura verde, na qual comunicam praças, jardins, parques, bosques dentro do limite urbano”, acrescenta.

Na apresentação do debate promovido pelo CpC participaram João Malva e João Lucas, os quais destacaram a necessidade de “evitar olhar a floresta apenas de uma forma utilitária, com monocultura” e chamaram a atenção para a encosta cheia de eucaliptos em toda a zona que vai da Carapinheira da Serra até S. Paulo de Frades.

LEGENDA

João Malva, Jorge Gouveia Monteiro e João Lucas