Coimbra  29 de Novembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CpC candidata Alexandre Carvalho à Freguesia de Santo António dos Olivais

24 de Maio 2021 Jornal Campeão: CpC candidata Alexandre Carvalho à Freguesia de Santo António dos Olivais

O movimento “Cidadãos por Coimbra” (CpC) anunciou que Alexandre de Sousa Carvalho é o primeiro candidato à Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais.

Membro do CpC desde 2013 e da Assembleia de Freguesia de Santo António dos Olivais desde 2017, o candidato tem 35 anos e é licenciado em Relações Internacionais pela Universidade de Coimbra.

Está a terminar o seu doutoramento em Ciência Política no ISCTE-IUL e desde 2017 que é Assistente Convidado em Relações Internacionais na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e investigador associado do Centro de Estudos Sociais da mesma Universidade, onde coordena a área temática sobre “Populismo e Masculinidades Extremas” do Projecto Decode/M.

Depois de ter concluído o mestrado no Reino Unido, regressou a Lisboa, em 2010. Organizou o Protesto da Geração à Rasca a 12 de Março de 2011 e fundou o Movimento 12 de Março e a Iniciativa por uma Auditoria Cidadã à Dívida Pública. Neste regresso a Portugal retomou a sua paixão pela música e teatro, tendo actuado como músico e compositor em espectáculos das companhias Organização, Divas Iludidas e A Palavra Que Resta. Regressou a Coimbra em 2016 e no seu percurso profissional destacam-se também os 13 anos de experiência de consultoria para institutos de pesquisa, agências governamentais e organizações não-governamentais.

Em termos programáticos, o CpC defende “a necessidade de fazer dos Olivais uma Freguesia moderna, inclusiva, transparente, comunicativa e ecológica”. “As nossas prioridades são transformar os Olivais numa eco-freguesia, uma freguesia que não tem receio de ser escrutinada e que sabe comunicar com a população incentivando a participação cidadã informada nas suas reuniões e decisões”, acrescenta o movimento”.

Para o Cpc “é também imperativo garantir que todos os serviços públicos sejam acessíveis a todos os cidadãos da freguesia e requalificar os espaços públicos até agora sub-aproveitados, não-inclusivos ou ao abandono, actuando a Junta como um vector de dinamização da freguesia”.