Coimbra  22 de Abril de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Construtor de carros alegóricos da Queima das Fitas de Coimbra reclama pagamento

1 de Março 2021 Jornal Campeão: Construtor de carros alegóricos da Queima das Fitas de Coimbra reclama pagamento

O construtor de alguns carros alegóricos da edição de 2020 da Queima das Fitas de Coimbra notificou, através do seu advogado, os responsáveis pelos mesmos para o pagamento das verbas por liquidar, avançou, hoje, a TvAAC.

Carlos Lima, proprietário da empresa Carlos Correia Lima, Unipessoal LDA, exigen, na carta enviada aos responsáveis pelos carros com quem assinou contrato, pagamento dos valores em falta num prazo máximo de 10 dias.

À TvAAC, o presidente do carro alegórico de Engenharia e Gestão Industrial (EGI), Duarte Bandeira, afirma que “só foi contactado pelo construtor em Julho de 2020, após a primeira data agendada da Queima das Fitas”. “Em março de 2020, o construtor não nos avisou de nada. Só em Julho de 2020, após a data da Queima das Fitas, é que nos contactou a informar que lhe tínhamos que pagar o valor que faltava pagar, de 1 929 euros”.

O estudante realça, ainda, que “o contrato só exigia a segunda metade do pagamento depois de o carro estar feito” e que “não faz sentido pagar por um carro que não foi feito e ser prejudicados por uma pandemia”. Duarte Bandeira conclui destacando que, em Outubro de 2019, já tinha sido paga metade da prestação, “cerca de 1 300 euros”.

Já o actual coordenador-geral da COQF 2021, Carlos Missel, reitera à TvAAC que “a Comissão Organizadora da Queima das Fitas (COQF) não concorda que sejam cobrados serviços aos carros, pois não houve cortejo”. “Estamos contra esta medida dos construtores”, frisa, sublinhando que estão a recorrer a apoio jurídico para ajudar os carros alegóricos.

O coordenador-geral da COQF 2021 abordou, também, a questão do concurso público introduzido este ano na Queima das Fitas para os construtores dos carros alegóricos. “Nos próximos anos, o concurso público não é destinado a uma só concessão. Vários construtores podem ganhar o concurso em simultâneo. Este concurso serve para baixar o preço dos carros e salvaguardar os estudantes”, explica.

Também o Dux Veteranorum da Universidade de Coimbra, Matias Correia, falou sobre a notificação por parte do advogado do construtor. “O Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra compreende que é uma situação chata para os construtores, mas é ainda mais para os estudantes, que só queriam desfrutar do seu cortejo como fitados. É desumano exigir o pagamento de um valor tão avultado, num prazo de 10 dias, por uma actividade que não decorreu”, lamenta.

O construtor Carlos Lima não quis prestar declarações à televisão da Associação Académica de Coimbra (AAC), afirmando só que o caso está com o seu advogado.

Recorde-se que face à pandemia de covid-19, a COQF 2020 adiou, em Março do ano passado, o evento para Outubro, contudo, em Agosto de 2020 foi anunciado o cancelamento definitivo do cortejo. Recentemente, a Queima das Fitas anunciou que prevê realizar a festa académica entre os dias 21 e 28 de Maio, se assim for possível, tendo inclusivamente criado até um novo “lema” antecipado: “o regresso começa contigo”.