Coimbra  24 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa lança projecto para incentivar compostagem doméstica

17 de Dezembro 2018

O Município de Condeixa-a-Nova lançou um projecto de “incentivo à compostagem doméstica”, para reduzir “os resíduos indiferenciados e potenciar a reciclagem da matéria orgânica”, segundo anunciou a Câmara.

Designado ‘Condeixa bio verde’, o projecto “pretende colocar 200 famílias do concelho a compostar, outra forma de reciclar, fornecendo os materiais e ensinando a fazer compostagem doméstica e recolha selectiva” de biorresíduos alimentares, afirma a autarquia.

O investimento surge no âmbito do Plano Municipal de Gestão de Resíduos de Condeixa e na sequência da aprovação de uma candidatura ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

‘Condeixa bio verde’, que no início de 2019 será alargado às escolas do município, inclui ainda “acções de sensibilização e educação ambiental a realizar junto das famílias e dos estabelecimentos escolares do concelho com vista à alteração de comportamentos no que diz respeito ao tratamento dos resíduos”, adianta a autarquia.

Os interessados em “reduzir os seus resíduos orgânicos domésticos” deverão consultar o regulamento e fazer a respectiva inscrição, através do site da autarquia, para, depois, receberam “um compostor doméstico, formação em compostagem e apoio continuado pelos técnicos” municipais.

Para que os residentes no concelho de Condeixa-a-Nova se possam inscrever no projecto e “transformar o seu lixo doméstico orgânico em fertilizante” precisam de ter “um jardim, um quintal ou um logradouro”, entre outros espaços adequados à prática da compostagem.

“A sustentabilidade ambiental constitui uma das prioridades” definidas pela Câmara, designadamente no âmbito do seu orçamento para 2019, afirma o presidente do Município, Nuno Moita da Costa.

“Apesar do aumento da reciclagem, a quantidade de resíduos indiferenciados” produzidos no concelho “ainda é muito elevada” e “a compostagem dos resíduos verdes” contribuirá para “uma redução da pegada ecológica”, sustenta ainda o autarca socialista.

A compostagem é “uma prática simples que permite aproveitar os biorresíduos e transformá-los num fertilizante natural que pode depois ser usado, evitando-se o seu encaminhamento para aterro, o que se traduz em vantagens económicas e ambientais”, conclui a Câmara de Condeixa-a-Nova.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com