Coimbra  20 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa: Câmara contesta “chumbo” do IMTT para recuperar cerâmica

24 de Julho 2018

O presidente da Câmara de Condeixa vai pedir a intervenção da tutela face ao “chumbo” do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMTT) ao projecto de transformar o degradado edifício da antiga fábrica Cerâmica de Conímbriga num centro de desenvolvimento cerâmico/´hub´ de indústrias criativas.

“Temos um projecto aprovado e financiado por fundos comunitários no valor de um milhão de euros, no âmbito do PARU (Plano de Acção de Regeneração Urbana), e estamos muito incomodados com o parecer negativo que nos chegou do IMTT, parecer obrigatório por a antiga fábrica estar próxima do IC2, na Faia”, refere Nuno Moita, adiantando que já solicitou audiências ao presidente do referido Instituto e ao ministro que o tutela, numa tentativa de reverter a situação e à espera que “o bom senso impere sobre a burocracia”.

O autarca regista que, “por um lado, temos o país com fundos comunitários para reabilitar edifícios abandonados, que é o caso daquele há mais de 20 anos, e, por outro lado, temos a burocracia, que impera e dá pareceres deste tipo, através de organismos sediados em Lisboa e desconhecedores da realidade”.

Nuno Moita receia perder o financiamento alocado ao projecto Condeixa Criativa, teme pela ruína do edifício, “com perigo para toda a gente”, e contesta o argumento da mudança de uso. “Era uma unidade fabril e, agora, queremos passá-la a um centro de desenvolvimento cerâmico, onde pretendemos mostrar e preservar a nossa tradição da pintura à mão da cerâmica”, frisa o edil.

Fonte: Jornal Terras de Sicó

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com