Coimbra  8 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa-a-Nova recebeu viatura de recolha de biorresíduos

31 de Março 2021 Jornal Campeão: Condeixa-a-Nova recebeu viatura de recolha de biorresíduos

O Município de Condeixa-a-Nova recebeu, ontem (30), uma nova viatura destinada à implementação da recolha selectiva de biorresíduos, tendo em vista a sua valorização e a redução dos resíduos enviados para aterro.

“O Município já dispõe de um projecto de compostagem doméstica nas zonas rurais e agora avançamos mais um degrau tendo em vista diminuir os resíduos indiferenciados e potenciar o aproveitamento deste recurso desaproveitado na economia circular, com evidentes ganhos ambientais e económicos. Apelamos agora a que as pessoas se envolvam neste projecto e contribuam para atingir os objectivos, transformando Condeixa num concelho exemplar em matéria ambiental”, disse Nuno Moita, presidente da Câmara Municipal.

A viatura de recolha de resíduos urbanos biodegradáveis (RUB), adquirida no âmbito de candidatura “Biorresíduos com Valor”, efectuada ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), do Portugal 2020, corresponde a um investimento de 157 784 euros, co-financiado em 85% pela União Europeia, através do Fundo de Coesão.

“Com este equipamento pretende-se capacitar o Município para responder ao desafio de cumprir a obrigatoriedade de recolha selectiva de biorresíduos a partir de 2023, imposto pela União Europeia. Desta forma, a autarquia está a criar as condições para assegurar a recolha selectiva de biorresíduos no concelho e o consequente cumprimento das metas ambientais concelhias e nacionais”, disse a autarquia.

O projecto de recolha selectiva de biorresíduos vai arrancar, nesta primeira fase, nas zonas urbanas de duas freguesias do concelho, nomeadamente na União de Freguesias de Condeixa-a-Velha e Condeixa-a-Nova (aglomerado urbano do centro da vila de Condeixa-a-Nova, Urbanização Nova Conímbriga I e Urbanização Nova Conímbriga II) e na União de Freguesias de Sebal e Belide (Urbanização Quinta do Barroso).

Para o efeito serão entregues pequenos baldes domésticos nos alojamentos abrangidos, onde os utentes domésticos farão a separação dos resíduos urbanos biodegradáveis alimentares nas suas habitações, e instalados na via pública novos contentores de acesso controlado, para deposição de proximidade apenas deste tipo de resíduos. Aos residentes das zonas abrangidas, será disponibilizado um cartão-chave para acesso ao contentor na via pública, permitindo monitorizar o sistema de gestão de resíduos.

Também para o sector não-doméstico está prevista a entrega de contentores junto dos estabelecimentos comerciais (em especial do canal HORECA, cantinas de escolas, supermercados e Instituições Particulares de Solidariedade Social), para que passem a fazer a deposição destes resíduos.

“O início deste processo, de desvio dos biorresíduos da rede de recolha indiferenciada para a rede de recolha selectiva deste novo fluxo, reveste-se de enorme importância no aumento dos índices de reciclagem. O seu sucesso, porém, requer e depende da participação, esforço, empenho e co-responsabilização de todos os intervenientes, para que no final de 2023 Condeixa consiga ter uma rede de recolha selectiva de biorresíduos e reduzir o desperdício de resíduos com valor”, apelou o Executivo.

É fundamental que os resíduos orgânicos não sejam misturados com outros que contaminem. Assim, no novo contentor de cor ou tampa castanha devem ser depositados restos de alimentos crus e cozinhados ou fora de validade (legumes e frutas, carne e peixe, restos de sopa, restos de pão e bolos), cascas de ovos, borras de café, saquinhos de chá e guardanapos de papel.