Coimbra  2 de Dezembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa-a-Nova faz testes com metodologia inovadora

2 de Maio 2020 Jornal Campeão: Condeixa-a-Nova faz testes com metodologia inovadora

A Câmara de Condeixa-a-Nova está a fazer testes à covid-19 através de “uma metodologia inovadora”, junto de colaboradores de lares de idosos e de serviços públicos essenciais, anunciou a autarquia.

Os testes permitem “combinar duas técnicas distintas e dos resultados obtidos verificar, de acordo com o fluxograma estabelecido pela Administração Regional de Saúde, a exposição ao vírus dos testados, esperando-se aumentar a fiabilidade dos mesmos”, afirma a Câmara.

Condeixa-a-Nova concluiu no dia 28 de Abril “o primeiro conjunto” de 850 testes à doença a trabalhadores de lares de idosos e de serviços público, e aguarda agora “a chegada de mais [650] testes para completar o rastreio”.

Com mais esta medida, o Município pretende “garantir a segurança de quem está no terreno todos os dias a assegurar o funcionamento de instituições e serviços fundamentais” do município, explica o presidente da Câmara, Nuno Moita da Costa.

“A prevenção e a despistagem da covid-19 é fundamental para conter o risco de propagação e proteger toda a população, em particular a mais vulnerável como são os nossos idosos”, sustenta o autarca, citado na nota da Câmara da vila vizinha de Coimbra.

Os testes já realizados, “num total de 850”, que representam “um investimento de cerca de 22.200 euros, foram adquiridos pela Câmara Municipal, no âmbito de um projecto-piloto de metodologia de rastreio”, refere a autarquia.

O projecto está a ser coordenado pela Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra (que agrega 19 concelhos) e foi desenvolvido pela Administração Regional de Saúde do Centro e validado pelo Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde).

O Município de Condeixa-a-Nova “aguarda agora a chegada de mais 650 testes que permitirão completar o rastreio a todos os colaboradores das estruturas residenciais para idosos (ERPI) e lares residenciais” do concelho, “além de colaboradores de serviços públicos essenciais”.