Coimbra  28 de Novembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Condeixa-a-Nova adapta zonas ajardinadas às alterações climáticas

11 de Novembro 2021 Jornal Campeão: Condeixa-a-Nova adapta zonas ajardinadas às alterações climáticas

O Município de Condeixa-a-Nova está a adaptar o espaço público do concelho às alterações climáticas, através da reconversão das áreas ajardinadas com a introdução de espécies rústicas autóctones, de baixo consumo de água e mais resistentes a pragas e doenças.

“Os investimentos na sustentabilidade, nomeadamente ambiental, serão uma das nossas prioridades neste mandato e este projecto representa mais um contributo para a adaptação gradual do espaço urbano, tornando-o mais resiliente aos impactos das alterações climáticas, como sejam ondas de calor, secas, cheias e fogos florestais, que, como sabemos, são cada vez mais frequentes e com maior intensidade”, disse o presidente da Câmara de Condeixa, Nuno Moita da Costa.

À intervenção já iniciada na Praça Conde Ferreira e na Rotunda Padre Bento Menni, segue-se a requalificação da Rotunda Condeixa-a-Velha e área envolvente e das duas Rotundas do nó da Faia, numa operação que deverá estar concluída até final do ano.

De acordo com a autarquia, a intervenção representa um investimento de 108.483 euros e integra o projecto “Demonstração e Inovação para Adaptação às Alterações Climáticas na Região de Coimbra”, financiado pelo Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos e Portugal 2020, resultado de uma candidatura feita pelo Município em parceria com a Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, sendo comparticipado em 75% pelo Fundo de Coesão.

De acordo com a Câmara, a requalificação destes espaços verdes urbanos permite optimizar a gestão do recurso água, através da implementação de uma selecção de espécies – arbóreas, arbustivas e herbáceas – mais resistentes ao stress hídrico e da implementação de soluções de rega mais eficientes. Com o mesmo objectivo, está ainda prevista a redução ou eliminação das actuais áreas relvadas e a sua substituição por áreas de cobertura de solo com revestimentos naturais ou inertes.