Coimbra  5 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Comida imprópria leva pais a exigir intervenção da CMC

30 de Novembro 2016 Jornal Campeão: Comida imprópria leva pais a exigir intervenção da CMC

Desde o início do ano lectivo, em Setembro, que todos os dias um encarregado de educação supervisiona a comida servida às crianças da Escola Básica de São Martinho do Bispo. Raras são as vezes em que a comida está em condições para ser consumida e é por essa e outras razões, bem como pela falta de eficácia das partes envolvidas, que a Associação de Pais exige que “seja cessado o contrato existente”.

“A nossa contestação tem a ver com o facto de estarmos a falar de alimentação de crianças. As aulas decorrem há três meses e neste período ocorreram cerca de 31 incidências graves, que têm a ver com a falta de comida para algumas crianças, alimentação imprópria ou comportamentos inadequados das funcionárias”, explicou Ricardo Pocinho, da Associação de Pais da Escola de São Martinho do Bispo.

É por ver esta situação a ser arrastada, com a qual “a empresa (ICA) não está minimamente preocupada com o serviço que presta e a Câmara Municipal de Coimbra parece inoperante”, que a Associação tomou a decisão de dizer “basta” e tentar resolver o problema de outra forma.

Ao longo desta semana, foram estabelecidos “vários contactos, desde logo, com a Fundação ADFP (gestora do Colégio de São Martinho), que garante uma oferta ao mesmo preço com a possibilidade de as crianças serem transportadas para irem almoçar ao Colégio”, revelou o representante dos encarregados de educação.

Segundo Ricardo Pocinho, “se até ao final do ano civil ou até final do primeiro período lectivo não for resolvido o contrato com esta empresa, que já não gera qualquer confiança, (…) a Associação de Pais está disponível para, se não houver resolução imediata do contrato e a substituição por outra empresa, em Janeiro de 2017, encontrar uma solução alternativa que passa pelas crianças irem almoçar fora do espaço da Escola, com tudo o que isso tem de inconveniente”, acrescentando que os encarregados de educação exigem que “a Câmara Municipal resolva esta situação de imediato”.

Além de cerca de uma dezena de pais, na conferência de Imprensa, realizada à porta da Escola, estava, também, uma representante da União de Freguesias de São Martinho do Bispo e Ribeira de Frades, manifestando assim “o seu apoio a esta luta, que até ao momento, tem sido inglória”, reforçou.

Falta de qualidade e de quantidade, falta de segurança, problemas de acondicionamento e desorganização entre as próprias funcionárias são alguns dos problemas apontados pela Associação de Pais, que, em reunião, decidiu “não pagar as refeições servidas até hoje”.

Recorde-se que, no passado dia 25 de Outubro, foi servida comida estragada em vários estabelecimentos de ensino de Coimbra, o que motivou mal-estar (dores de barriga, diarreia e vómitos) em algumas crianças.