Coimbra  29 de Maio de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Combater a iliteracia na Saúde através de conversas informais

10 de Janeiro 2020 Jornal Campeão: Combater a iliteracia na Saúde através de conversas informais

Paulo Trincão, director do Exploratório, e António Travassos, presidente do Centro Cirúrgico, apresentaram a 3.ª edição da iniciativa

 

A iniciativa que une o Exploratório – Centro de Ciência Viva de Coimbra ao Centro Cirúrgico de Coimbra – “Conversar é o melhor Remédio – Médicos na Exposição”, está de regresso para a terceira temporada e promete continuar a apostar na divulgação da Ciência e da Medicina de uma maneira informal.

A temporada de 2020 deste evento surge na sequência de dois anos em que a afluência do público não desmente a importância e o interesse que o ciclo suscita.

Com uma média de 50 espectadores por sessão (500 no total), e muitos vindos já de vários pontos do país, as várias “conversas” realizam-se aos terceiros sábados de cada mês, pelas 18h00, no Exploratório.

“As pessoas vêm e demonstram que há um grande interesse em conversar com os médicos, conhecerem o que fazem e criarem uma relação calma e segura com estes profissionais”, revelou Paulo Trincão, director do Exploratório, sublinhando que a iniciativa tem tido “importância nacional, porque as pessoas percebem que as coisas em Coimbra realmente funcionam. Noutros locais não há ciclos destes, com esta dimensão e profundidade”.

Em “discussão” pelos médicos estarão diversos temas afectos a várias especialidades da medicina, desde neurologia; cardiologia; imunoalergologia; psiquiatria; otorrinolaringologia; cirurgia cardiotorácica; medicina interna; neurocirurgia; oftalmologia; cirurgia vascular e urologia.

Estas sessões são “realmente conversas, não são palestras, num ambiente muito próximo e familiar”, salientou o responsável pelo Exploratório, garantindo que a ideia passa por “melhorar as sessões, desde os temas ao som, passando pela disposição da sala.

Para António Travassos, presidente do Conselho de Administração do Centro Cirúrgico de Coimbra, “estas são conversas extremamente simples, agradáveis e interessantes, porque se fala de saúde e isso é algo muito importante para todos”.

Durante estas sessões, a ideia é, segundo o oftalmologista, “como fazer uma visita ao Google, em que se pretende responder às questões que as pessoas colocam”, acrescentando que “as pessoas têm interesse em ouvir e em participar na conversa”.

A parceria entre estas duas instituições (uma pública e outra privada) é a prova de que podem, realmente, funcionar e com sucesso. “Há uma sintonia total e objectivos comuns entre as duas entidades”, realçou Paulo Trincão.

O director do Exploratório salientou, ainda, da experiência de duas edições anteriores deste ciclo, a “empatia que se gera entre oradores e público, algum que vai às sessões por gratidão para com o médico”.

Os temas são escolhidos pelos especialistas e António Travassos, que irá estar “à conversa” no Exploratório a 12 de Dezembro, levantou um pouco do “véu” sobre a temática escolhida: “Um médico pode errar?”. Na opinião do oftalmologista, “se não tiver cuidado, erra todos os dias”. “Alguns erros cometidos nem são percebidos e isso é fazer Ciência, porque esta não é uma verdade absoluta, está em constante evolução”, explicou, adiantando que “se aprende fundamentalmente com os outros, com toda a sociedade”.

“Procuro evitar errar e a Medicina também devia evitar cometer sempre os mesmos erros”, concluiu.

As sessões são gratuitas e a programação é a seguinte:

  • 18 Janeiro – “A Senilidade é um mito” – Isabel Santana (Neurologia)
  • 15 Fevereiro – “Como ter um ‘Ataque Cardíaco’” – A explicação passo a passo – Luís Leite
    (Cardiologia)
  • 21 Março – “As vacinas que educam as alergias” – Celso Pereira (Imunoalergologia)
  • 18 Abril – “O mau Humor Nasce Connosco?” – Sofia Morais (Psiquiatria)
  • 16 Maio – “Quando ressona, para de respirar?” – Vera Sofia Soares (Otorrinolaringologia)
  • 20 Junho – “Hiperidrose: do Inferno ao Paraíso” – Javier Gallego (Cirurgia Cardiotorácica)
  • 18 Julho – “O Dr. House é ficção ou pode ser realidade?” – Catarina Canha (Medicina Interna)
  • 15 Agosto – “Olhares Neurocirúrgicos sobre a dor Crónica Lombar” – Raimundo Fernandes (Neurocirurgia)
  • 19 Setembro – “Os homens também choram e não são lágrimas de crocodilo” – Rui Tavares (Oftalmologia)
  • 17 Outubro – “Varizes: como prevenir e tratar” – Gabriel Anacleto (Cirurgia Vascular)
  • 21 Novembro – “A saúde do homem descomplicada” – Silvio Bollini (Urologia)
  • 12 Dezembro – “Um Médico pode errar?” – António Travassos (Oftalmologia)