Coimbra  22 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Tráfego está a ser contado para acertar trajecto do Metrobus

25 de Outubro 2018

A empresa Metro Mondego está a fazer a contagem do tráfego na Linha do Hospital para definir melhor o trajecto do sistema de Metrobus a instalar em Coimbra, em substituição do projectado metro ligeiro de superfície.

A Metro Mondego (MM) “está a proceder a um conjunto de contagens de tráfego rodoviário em Coimbra, inseridas na revisão do Estudo Prévio e elaboração do Projecto de Execução do Sistema de Mobilidade do Mondego – Metrobus, no que reporta à Linha do Hospital”, anunciou, hoje, a empresa.

O estudo do comportamento de tráfego visa “conhecer melhor a realidade” para definir, com mais rigor, “o traçado” a adoptar pelo novo meio de transporte, particularmente na “Alta” da cidade de Coimbra, na área compreendida entre a praça da República, o largo de Celas e o pólo dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), especificou a MM.

Embora a Linha do Hospital (que ligará a “Baixa” aos HUC) mantenha no essencial o trajecto programado para o metropolitano, é necessário “adaptá-lo à nova realidade”, desde logo porque a zona de Celas “não será atravessada por um túnel” (como chegou a estar previsto para o metropolitano), disse à agência Lusa Rodrigo Porto, da MM.

Além disse, salientou, a nova solução, para o sistema de mobilidade do Mondego (SMM) assenta numa nova realidade técnica, que implica soluções de algum modo diferentes para a sua compatibilização com a circulação rodoviária, acrescentou.

Trata-se de adaptar o projecto MM a um novo sistema técnico e importa conhecer bem a realidade para serem definidas as melhores soluções, sintetizou.

O processo do SMM arrasta-se há mais de duas décadas, com a criação da MM, uma sociedade liderada pelo Estado e integrada também pelos municípios de Coimbra, Lousã e de Miranda do Corvo e pela Infraestruturas de Portugal (que substituiu a REFER na composição accionista da empresa de capitais exclusivamente públicos).

O projecto de metro ligeiro para o Ramal da Lousã (ferrovia que servia os municípios de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo, que foi desactivada em 2010 e cujos carris foram removidos), foi anunciado em 1994, mas, entretanto, abandonado, tendo o actual Governo decidido avançar com um sistema de ‘Metro bus’ (baseado numa solução tecnológica de autocarros eléctricos).

O primeiro concurso público para a instalação do SMM será lançado no início de 2019, disse, em Julho deste ano, o ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, referindo que o Governo prevê investir no projecto, com recurso a fundos europeus, cerca de 90 milhões de euros.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com