Coimbra  22 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Taxista sem carta durante sete meses

21 de Junho 2018

Um taxista de Coimbra sofreu, anteontem, condenação a ficar sem carta durante sete meses, e foi punido com multa de 1 050 euros, por ter sido interceptado, pela PSP, a conduzir embriagado.
O arguido, julgado em processo sumaríssimo, era possuidor de uma taxa de 2,55 gramas de álcool por litro de sangue, bastante superior à quinta parte de um gr/l (0,20 aceitáveis para condutores profissionais).
Além de incorrrer em actividade perigosa, o arguido praticou condução em estado de embriaguez, ao abrigo do Código Penal, cujo teor estipula o cometimento do crime quando a referida taxa é igual ou superior a 1,20 gr/l.
Segundo o Diário de Coimbra, a advertência para a existência de um taxista a guiar de modo perigoso foi comunicada, segunda-feira (18) à tarde, à Polícia de Segurança Pública.
O arguido admitiu a ingestão de álcool, na audiência de julgamento, mas relativizou-a dizendo ter bebido três copos de vinho.

Como noticiou, recentemente, o “Campeão”, um automobilista cuja condução perigosa pôs uma criança em estado de coma, em Coimbra, há três meses, era portador de uma taxa de 1,58 gramas de álcool por litro de sangue.

Além daquele ilícito, o arguido é presumível autor de condução em estado de embriaguez.

Um teste de alcoolemia efectuado na altura da colisão apurou uma taxa que ditava a detenção do indivíduo, mas ele pediu a realização de análise em unidade hospitalar para desfrutar do benefício da dúvida até o escrutínio se tornar definitivo.

Uma colisão entre duas viaturas, a 30 de Março [de 2018] (Sexta-feira Santa), na vida rápida Taveiro – Bencanta, provocou ferimentos em quatro pessoas. Três das quatro vítimas sofreram danos pessoais ligeiros e uma criança ficou ferida com gravidade.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com