Coimbra  18 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra recebe exposição internacional “Memória: Totalitarismo na Europa

30 de Setembro 2021 Jornal Campeão: Coimbra recebe exposição internacional “Memória: Totalitarismo na Europa

A exposição internacional “Memória: Totalitarismo na Europa” vai estar aberta ao público em Coimbra já a partir de amanhã, dia 1, na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. A exposição é organizada pelo Instituto +Liberdade, em representação da Plataforma da Memória e da Consciência Europeia.

Esta exposição já foi apresentada em 22 grandes cidades de 19 países da Europa e da América do Norte, tendo, no mês anterior, estado patente no Palácio da Bolsa e no Palacete da Casa do Vinho Verde, no Porto. Nestes locais foram organizadas diversas actividades relacionadas com a temática, e foram recebidos mais de 12.000 visitantes.

“Pretendemos educar e informar o melhor que conseguirmos as novas gerações sobre o trágico passado totalitário da Europa e sobre a importância de defender os direitos humanos fundamentais, as liberdades e garantias individuais, bem como os valores democráticos na sociedade. O objectivo máximo desta exposição é promover uma melhor compreensão e integração entre todos os cidadãos europeus e ajudar a prevenir a recorrência de qualquer forma de regime não democrático no futuro. Sendo a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra um centro de conhecimento por excelência, é um enorme prazer trazer a exposição para aqui”, referiu o director Executivo, Carlos Guimarães Pinto, em concordância com a missão do próprio Instituto +Liberdade.

A Plataforma da Memória e da Consciência Europeia é uma organização não governamental internacional, fundada em Outubro de 2011 em Praga, por 20 membros de Estados da União Europeia, cujo propósito é aumentar a consciência pública sobre a história europeia e os crimes cometidos por regimes totalitários e encorajar uma ampla discussão a nível europeu sobre as causas e consequências do regime totalitário. Para além desta exposição itinerante, tem organizado inúmeras conferências internacionais e vários outros eventos de educação pública, e criou também um prémio para personalidades que marcaram a resistência e o trabalho contra o totalitarismo na Europa.