Coimbra  24 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra recebe competição de râguebi touch

7 de Outubro 2021 Jornal Campeão: Coimbra recebe competição de râguebi touch

O Estádio Universitário de Coimbra (EUC) recebe, entre sexta-feira (8) e domingo (10), a European Touch Senior Cup 2021, competição de uma variante de râguebi que existe oficialmente “desde 1968”, mas está a dar os primeiros passos em Portugal.

O touch caracteriza-se por ter “contacto mínimo”, ser “muito rápido e ágil”, mas, “acima de tudo, por homens e mulheres de todas as idades poderem jogar na mesma equipa”, no caso do escalão mix open, explicou o presidente da Associação Portuguesa de Touch (APT), Eduardo Seabra.

“É muito inclusivo. Sei que a palavra está na moda, mas encaixa-se perfeitamente nesta modalidade, onde o escalão rei é precisamente a final de ‘Mix Open’, nos Europeus, que é onde, no fundo, se espelha a sua imagem”, disse Eduardo Seabra.

Não é o caso da European Touch Senior Cup 2021, que se vai realizar em Coimbra, onde estarão presentes equipas apenas dos escalões W27 (feminino), M30, M40 e M45 (masculinos).

A letra designa o género e o número indica a idade mínima dos jogadores da equipa, sendo que, oficialmente, existem também os escalões W35, M35, M50 e o Senior Mix, que inclui mulheres a partir dos 27 anos e homens a partir dos 30.

“É também o que torna estes torneios muito interessantes, o facto de haver equipas mistas. Deixa de haver só homens, ou só mulheres”, acrescentou Eduardo Seabra.

Em Portugal, existem já “mais de 20 clubes de râguebi” que incluem na sua oferta o touch, que “tem servido para angariar e reter atletas”, muitos deles “pais e mães dos jovens jogadores que estão a praticar râguebi nos clubes”.

“Por ser um jogo sem contacto físico e de fácil aprendizagem, tem trazido antigos jogadores de volta e muitos outros atletas que nunca na vida pensaram em tocar numa bola de râguebi. Tem ajudado o râguebi e os clubes a crescer”, comentou o presidente da APT.

Por esse motivo, embora a modalidade tenha uma federação internacional própria, a Federação Internacional de Touch (FIT), distinta da World Rugby, em Portugal existe “um protocolo de entendimento e ajuda mútua” entre a APT e a Federação Portuguesa de Râguebi.

Nesse sentido, Eduardo Seabra acredita que o touch, em Portugal, “veio para ficar”, até porque a adesão de praticantes já permite começar a pensar em “criar competição interna de acordo com os escalões internacionais”.

Para já, na European Touch Senior Cup 2021, os Portugal Foxes (Raposas de Portugal) estarão representados, em Coimbra, por equipas dos escalões W27, M40 e M45.

“No râguebi temos os ‘lobos’. Como o touch é um jogo muito rápido, ágil e estratégico, adoptámos a raposa como o animal que melhor caracteriza a nossa forma de jogar”, esclareceu Eduardo Seabra.

As “raposas” vão, então, subir ao relvado do EUC para “garantidamente, ganhar alguns jogos”, mas o presidente da APT não se compromete com finais, até porque a concorrência é feroz.

A European Toch Senior Cup traz a Coimbra equipas de nove países, além de três formações compostas por jogadores de vários países europeus, em substituição das equipas inglesas que, devido às “restrições que ainda estavam em vigor quando tiveram de tomar uma decisão final”, acabaram por não viajar para Portugal.

Esta é, de resto, a segunda vez que a competição se realiza em Portugal, depois de Lisboa ter recebido a edição de 2019, mas Eduardo Seabra lamenta que, no futuro, terá “garantidamente de realizar-se noutro local”, partindo do princípio que deixarão de existir restrições relacionadas com a pandemia de covid-19.

“Podíamos ter organizado novamente em Lisboa, mas quisemos descentralizar o torneio, acreditando que encontramos no EUC boas infraestruturas desportivas para o efeito. No futuro, não vamos ter capacidade de resposta. Sem restrições, podemos atingir facilmente 40 equipas e seria preciso um parque desportivo com, pelo menos, cinco campos”, frisou.

Isto porque os jogos de touch são disputados numa área de jogo de 50 por 70 metros, entre equipas de seis jogadores, pelo menos nas competições oficiais, como o Campeonato da Europa.

Mas em Coimbra, apesar do torneio realizar-se sob a égide da Federação Europeia de Touch, cada relvado vai receber dois campos de jogo, pois fora das competições oficiais, “só é preciso um campo, uma bola e um grupo de amigos”.