Coimbra  20 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra reajusta projecto de execução para preservar dois sobreiros

13 de Junho 2021 Jornal Campeão: Coimbra reajusta projecto de execução para preservar dois sobreiros

No âmbito da empreitada em curso de requalificação de caminhos pedonais na Solum, estava previsto no projecto inicial a remoção de dois sobreiros, tendo a autarquia recebido parecer positivo do ICNF.

Depois de uma visita ao local, o presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, Manuel Machado, incumbiu os serviços de apresentarem uma proposta de reajustamento ao projecto de execução, por forma a preservar estas árvores, tendo o mesmo já sido readaptado e aprovado, com os sobreiros a serem mantidos e monitorizadas em permanência para garantir a segurança de pessoas e bens.

No decorrer desta semana, vão ainda iniciar-se trabalhos de podas e remoção de árvores, por razões de segurança, na Rua Infanta Dona Maria. Recorde-se que no âmbito destas obras, por cada exemplar retirado serão plantadas sete novas espécies, num total de 160 árvores que vão erguer-se nesta zona central da cidade, entre as quais três sobreiros adultos junto à escola Infanta Dona Maria.

Melhorar as condições para uma mobilidade pedonal segura é assim um dos objectivos da CM Coimbra, que em Maio iniciou a requalificação de caminhos pedonais que vão desde a rua Miguel Torga até à rua do Brasil. Estas obras correspondem a três dos cinco lotes da empreitada de requalificação dos caminhos pedonais de Celas à Arregaça e representam um investimento de 1 491 380 euros (IVA incluído), incluído no PEDU de Coimbra.

Uma empreitada cujo objectivo global é promover a circulação pedonal, desimpedida de obstáculos, mais confortável e aprazível, através também da plantação de árvores.

A intervenção relativa ao lote 2, que prevê a criação de uma ligação pedonal e rodoviária entre as ruas Miguel Torga e Infanta Dona Maria, visa criar uma alternativa às escadas dos Lóios e desafogar o congestionamento, em horas de ponta, na rotunda da Solum. O projecto inicial pretendia privilegiar passeios largos, para criar uma alternativa às escadas dos Lóios, que não permite a circulação de pessoas com mobilidade reduzida. Todavia, a construção desta solução implicava a remoção de dois sobreiros, tendo a autarquia recebido parecer positivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Ainda assim, depois de uma visita ao local, o presidente da Câmara, Manuel Machado, solicitou que os serviços municipais apresentassem uma proposta de reajuste ao projecto de execução, de forma a serem preservados os dois sobreiros. O projecto readaptado já foi aprovado, tendo o traçado do arruamento a criar sido alterado. Junto às árvores será criado um muro de 2,80m de altura e esta alteração irá restringir a largura dos passeios a criar, pelo que as escadas pensadas com 17 degraus vão dar lugar a uma rampa, de forma a manter a ideia original do projecto, que passa por garantir acessibilidade às pessoas com cadeira de rodas ou carrinho de bebé, em alternativa às escadas dos Lóios. Será também criado um novo percurso junto ao gradeamento lateral da escola, que irá rematar, mais acima, com o existente.

Os dois sobreiros serão, assim, mantidos e monitorizadas em permanência para garantir a segurança de pessoas e bens, até porque um deles apresenta uma cavidade na base do tronco principal. Neste local serão ainda plantados três novos exemplares adultos de sobreiros, reforçando assim a presença da espécie nesta zona.

Este lote prevê ainda, na rua Jerónimo Baía, o alargamento dos passeios existentes e a redução da faixa de rodagem. Está ainda contemplada a requalificação de um espaço em terra, junto à rua Miguel Torga, que atualmente é utilizado para estacionamento informal, e que deverá tornar-se numa zona de estar e recreio pedonal. A intervenção contempla, também, a instalação de rede de drenagem de águas pluviais e da rede de iluminação pública.

No âmbito dos trabalhos desta empreitada, mas relativamente aos restantes lotes em curso, iniciam-se esta semana podas e remoção de árvores que apresentam mau estado fitossanitário ou que colocam em causa a segurança de pessoas. Os trabalhos vão implicar alguns condicionamentos de trânsito e estacionamento no local. A intervenção está incluída na empreitada a cargo da empresa Relvão & Filhos, Lda., sendo que os trabalhos serão realizados pela empresa Pedro Eufrásio – Serviços Florestais, Unipessoal, Lda..

Na Rua Infanta Dona Maria, nas traseiras da escola Avelar Brotero, as sete árvores a remover apresentam muito mau estado radicular, o que impossibilita a circulação pedonal e obriga as pessoas a circularem na faixa de rodagem, colocando-se em perigo. Apesar disso, os serviços municipais de espaços verdes avaliaram todos os exemplares e concluíram ser possível preservar seis destas árvores, o que implicará a redução do número de lugares de estacionamento que permitirá nessa zona o alargamento do passeio e das caldeiras para um desenvolvimento saudável das árvores, sem colocar em perigo pessoas e bens.

Numa segunda fase, serão removidas cinco árvores em frente à escola Infanta Dona Maria, que apresentam um mau estado fitossanitário e têm atualmente as raízes a elevar o nivelamento do passeio, já por si muito estreito, tornando as condições de circulação pedonal muito más. Com o alargamento do passeio, as novas árvores a plantar terão caldeiras novas, o que permitirá assim um crescimento saudável.

Mais tarde, na rua General Humberto Delgado terão de ser removidas seis árvores de grande porte, pois apresentam raízes em crescimento nos passeios, resultando em desnivelamentos acentuados, sendo este conjunto substituído por 11 ulmeiros. As árvores de grande porte atualmente existentes não são adequadas a meio urbano, não só pelo “algodão” libertado que é geralmente pouco apreciado pelos moradores, mas também por colocarem em risco as pessoas e bens em caso de queda em cenários atmosféricos agressivos, como foi recentemente exemplo a tempestade Leslie. Já as duas árvores existentes, também de grande porte, no passeio junto à DREC, serão substituídas por oito jacarandás.

No decorrer destas obras, serão plantadas 160 novas árvores, de diversas espécies adequadas ao meio urbano, como por exemplo, azinheiras, olaias, lódãos, áceres, ulmeiros e jacarandás. Esta empreitada vai, assim, tornar toda esta zona mais verde, ao mesmo tempo em que se requalificam diversos caminhos pedonais que ligam a zona da Cumeada (avenida Dias da Silva, perto do Liceu José Falcão) à Arregaça, percursos esses que são utilizados diariamente pela população e que fazem o acesso de zonas residenciais de grande densidade populacional a núcleos de concentração de serviços, comércio, estabelecimentos de ensino, que pela sua centralidade permitem ainda a ligação a outros equipamentos, como os de saúde.