Coimbra  21 de Novembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Reacesa a polémica sobre largo da Rainha Santa

4 de Junho 2018

Manuel Machado entendeu alertar, hoje, a vereação da Câmara de Coimbra para a “reactivação de uma polémica” inerente ao usufruto do largo adjacente ao convento de Santa Clara-a-Nova.

Num arco à entrada para o adro do templo onde é venerada uma antiga monarca de Portugal, a Confraria da Rainha Santa indica tratar-se de “propriedade privada”.

Sem querer lançar achas para a «fogueira da polémica», o líder do Município conimbricense limitou-se a aludir a dúvidas sobre o “direito de dominialidade”.

Neste contexto, o vereador Francisco Queirós (CDU) e o vice-presidente da autarquia estranharam que haja uma pessoa a abordar as que aproveitam o local para fotografarem a cidade no sentido de lhes pedir para abrirem os cordões à bolsa.

Um jornalista do “Campeão” captou, esta tarde, uma panorâmica de Coimbra sem ter sido interpelado por quem quer que seja.

Em Setembro de 2016, foi anunciado, oficialmente, que o mosteiro de Santa Clara-a-Nova fazia parte do primeiro conjunto de imóveis do Estado a serem recuperados e valorizados através do Programa Revive, concebido com vista à reabilitação de edifícios públicos para fins turísticos.

“As minhas felicitações ao XXI Governo por ter tido a coragem de avançar com este projecto”, sintetizou, na altura, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

Ao reiterar ao “Campeão” que o referido adro pertence à Confraria da Rainha Santa (CRS), o líder do organismo, António Rebelo, estranhou que por ocasião da preparação do Revive ela não haja sido tida nem achada.

O hábito de encarar o recinto como se não se tratasse de propriedade privada resulta do facto de ele ter estado acessível a qualquer pessoa ao abrigo da figura da servidão militar, inerente ao funcionamento no local de antigas unidades do Exército, alega António Rebelo.

Para o presidente do sobredito organismo. como cabe à CRS ter lá pessoal, é normal a cobrança de um bilhete mínimo de 1,50 euros para visita à igreja, ao adro e aos claustros.

 

 

 

 

 

Vista cidade - Convento Rainha Santa

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com