Coimbra  26 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: PSD e CDS fundamentam aposta em Jaime Ramos

17 de Fevereiro 2017 Jornal Campeão: Coimbra: PSD e CDS fundamentam aposta em Jaime Ramos

A Comissão Concelhia do PSD/Coimbra e a sua congénere do CDS invocaram, hoje , “a experiência” de Jaime Ramos para justificar o convite ao médico a fim de se candidatar à presidência da Câmara local.

Paulo Leitão (PSD) e Luís Providência (CDS/PP) aludem à experiência de Jaime Ramos “essencialmente enquanto empreendedor, alicerçada em ímpar obra social”, materializada pela Fundação ADFP.

Neste contexto, os dirigentes partidários acenam com “a ambição de Coimbra” e com “o desejo de os munícipes se reverem numa cidade moderna, inovadora e atractiva, dotada de gestão transparente”.

“Acreditamos que, dado o ambiente de estagnação, falta de ambição e de esperança no futuro, a nossa responsabilidade conjunta é chamada a dar resposta a todos quantos não se revêem nesta forma de estar na política”, afirmam Paulo Leitão e Luís Providência em registo crítico ao desempenho de Manuel Machado (PS).

Para os dois dirigentes partidários, Coimbra “vive um clima de desilusão e de cansaço, face a um exercício autocrático do PS”, alegadamente pautado por “opacidade na gestão, divórcio em relação aos investidores e desprezo pelas mais elementares regras do Direito”.

Outrora presidente da Câmara de Miranda do Corvo, o médico e timoneiro da Fundação ADFP foi deputado do PSD à Assembleia da República, dirigente de organismos sob a alçada do Ministério da Saúde e governador civil de Coimbra.

O antigo autarca mirandense esteve na iminência de haver sido, em 2001, o candidato social-democrata à liderança do Município conimbricense, ocasião em que teria como opositor Manuel Machado (PS), que volta a perfilar-se para ser reconduzido no cargo.

Fundador da ADFP – Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional em 1987, Jaime Ramos está arredado da actividade politico-partidária há 25 anos, tendo sido presidente da Comissão Concelhia do PSD/Coimbra.

Como deputado (antigo vice-presidente do Grupo Parlamentar social-democrata), o médico foi defensor do Serviço Nacional de Saúde e apologista da despenalização do aborto, em determinadas circunstâncias, e da legalização das rádios locais.

A nível local, Ramos tem-se batido pela reabertura do Ramal ferroviário da Lousã, designadamente como porta-voz de um movimento cívico.

Listas (conjuntas) do PSD e do CDS conquistaram a presidência da Câmara conimbricense em 1979, 1985, 2001, 2005 e 2009, tendo cabido seis triunfos ao PS.

Em 2013, o CDS/PP concorreu autonomamente aos órgãos autárquicos de Coimbra e o PSD aliou-se ao Partido Popular Monárquico (PPM) e ao Movimento Partido da Terra (MPT).