Coimbra  17 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Praia do Rebolim vai ter espaços de restauração e bebidas durante o Verão

10 de Abril 2021 Jornal Campeão: Coimbra: Praia do Rebolim vai ter espaços de restauração e bebidas durante o Verão

A praia fluvial do Rebolim vai dispor, a partir de 15 de Maio e até meados de Outubro, de três locais de restauração e bebidas de carácter não sedentário.

O objectivo é passar a disponibilizar aos visitantes refeições rápidas, bebidas frescas, cafés, gelados e doces, entre outros produtos, estando o período de candidaturas para a exploração dos lugares de restauração e bebidas a decorrer até ao próximo dia 22 de Abril.

A informação consta para conhecimento na agenda da reunião do Executivo municipal da próxima segunda-feira (12), tendo a abertura do concurso já sido homologada pelo presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado. A autarquia pretende disponibilizar serviços de restauração e bebidas a todos os que optam por usufruir dos dias de sol na praia fluvial do Rebolim, à semelhança do que realizou no ano passado “e que se revelou uma experiência francamente positiva, tendo ainda em consideração o período atípico vivido e as medidas de levantamento do confinamento previstas no âmbito do combate à pandemia da covid-19”, disse a autarquia.

Para isso, o Município abriu um procedimento para a atribuição de três lugares de exploração, com área máxima de 6m por 3m. As candidaturas já podem ser efectuadas, sendo necessário que os interessados preencham o requerimento disponível em https://www.cm-coimbra/areas/e-balcao/formularios-e-modelos-2/atividades-economicas e o submetam, em conjunto com os documentos que se encontram elencados no website (ou no Edital N.º 86/2021, de 8 de Abril), para o endereço electrónico geral@cm-coimbra.pt, com o assunto “Desenvolvimento da Actividade de Restauração e Bebidas de Carácter não Sedentário no Rebolim”, até às 23h59 do próximo dia 22 de Abril.

“Os interessados devem indicar se se candidatam ao grupo A (equipamentos móveis que disponibilizem produtos doces, como farturas, churros, crepes, waffles, tripas, gelados, entre outros) ou ao grupo B (equipamentos móveis que disponibilizem refeições rápidas, como hambúrgueres, cachorros, bifanas, sandes, saladas, entre outros) e comprometem-se a disponibilizar o serviço todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados, das 10h00 às 20h00”, informou a Câmara de Coimbra.

O Município vai analisar a conformidade das candidaturas e depois realizará um sorteio para a atribuição do espaço de venda. As candidaturas admitidas serão, assim, divididas em dois grupos, A e B. No grupo A, que tem apenas um lugar, serão sorteados cinco candidatos, sendo que o primeiro sorteado ocupará o espaço no primeiro mês e assim consecutivamente. No grupo B, para o qual existem dois lugares disponíveis, serão sorteados dez candidatos, que igualmente ocuparão o espaço por um período de um mês.

Segundo o Executivo, “a praia fluvial do Rebolim, devido às suas qualidades ambientais e paisagísticas e ao conjunto de intervenções de beneficiação realizadas pela autarquia, tem vindo a ganhar protagonismo junto da população de Coimbra nos últimos dois anos, nomeadamente para actividades de convívio e lazer”. Este ano, pela primeira vez, a praia é candidata a água balnear, um processo que se encontra em apreciação pela APA/Administração da Região Hidrográfica do Centro, e também ao galardão de Bandeira Azul 2021.

Actualmente, o espaço está dotado de um conjunto de infra-estruturas, como um parque de estacionamento (269 lugares, com oito para cidadãos portadores de deficiência), sinalética direccional e informativa, sanitários (incluindo para cidadãos portadores de deficiência), parque de merendas e estrutura de apoio à praia e aos nadadores-salvadores. A área dispõe, ainda, de todos os materiais e equipamentos de vigilância e prestação de salvamento, socorro a náufragos e assistência a banhistas., estando a avaliação da qualidade da água em conformidade para o uso balnear.

Importa ainda referir que, esta semana, a autarquia iniciou a plantação de mais de quatro centenas de novas árvores entre a praia fluvial do Rebolim e a ponte da Portela, na margem direita do rio Mondego. A plantação linear e alternada de freixos, amieiros, salgueiros, sobreiros, entre outras, surge na sequência da intervenção de limpeza de resíduos e de eliminação de espécies infestantes que a autarquia tem levado a cabo para melhorar o meio ambiente e devolver esta margem do rio à população, que pode usufruir da natureza deste espaço em passeios a pé ou de bicicleta e na permanência nesta nova praia fluvial.

Esta operação está integrada na estratégia da Câmara de virar a cidade para o Mondego, num investimento global que, nos últimos anos, já ascende previsivelmente a 30 milhões de euros. Os investimentos mais significativos estão já em curso, designadamente a requalificação do Parque Manuel Braga e respectivos muros (4,8 milhões de euros) e a requalificação da margem direita do rio, entre a Ponte de Santa Clara e o Açude-Ponte (10 milhões de euros). Em fase avançada dos procedimentos estão também a estabilização da margem esquerda do rio Mondego, entre a Ponte de Santa Clara e o Açude-Ponte e a requalificação de ambas as margens na zona do Parque Verde (4,6 milhões); assim como a execução do novo Parque Municipal de Skate, que irá nascer sob o viaduto da ponte Rainha Santa Isabel, na margem direita (500 000 euros).

Às anteriormente mencionadas, acrescem as já concluídas obras de desassoreamento do leito do rio (4 milhões de euros); a construção da nova ponte na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro (580 000); a nova ponte pedonal e ciclável sobre o Mondego, junto ao Açude-Ponte (647 000); a requalificação da Praça das Cortes (421 000); a intervenção na Av. João das Regras (361 000 euros); a conclusão do parque de estacionamento do Convento São Francisco (1,5 milhões de euros); a nova via de ligação da Fernão de Magalhães à Padre Estevão Cabral (517 000); a ampliação das “docas” (1 milhão); e a ciclovia de Coimbra, que liga Coimbra B ao Vale das Flores e à Portela, num percurso de quase 20km (2,2 milhões de euros).

A promoção do uso da bicicleta ou outro meio de mobilidade suave é outra das grandes apostas do actual executivo camarário, que tem a estratégia de criação de uma cidade mais saudável e sustentável. Actualmente, já é possível fazer uma viagem, praticamente ininterrupta e em segurança, desde a estação ferroviária de Coimbra B até ao Vale das Flores e à Portela. Ao todo, são já 20 km de uma rede que está a valorizar a paisagem urbana da cidade, colocando ao usufruto da população local panoramas até aqui desconhecidos. Um investimento da CM Coimbra, superior a 2,2 milhões de euros, que permite a ligação de polos importantes da cidade, como estabelecimentos de ensino e investigação, de saúde e zonas comerciais. Esta aposta da autarquia pretende potenciar a utilização da bicicleta para lazer, mas também nas deslocações casa-trabalho e casa-escola, em detrimento da utilização do transporte individual motorizado, com a consequente redução de emissões de gases carbónicos, garantindo ainda os níveis elevados de segurança rodoviária.

A autarquia vai avançar também com a criação de mais 18 km de ciclovia ao longo do leito periférico direito do Mondego, de forma a ligar as povoações que se localizam ao longo da EN111. A proposta de traçado da nova ciclovia já foi aprovada em reunião do executivo municipal. Esta nova via vai ligar-se aos restantes 20 km de ciclovia já existentes que vão do Açude-Ponte até ao Vale das Flores e à Portela; aos 11km que estão previstos serem executados do Açude-Ponte até ao concelho de Montemor-o-Velho, pela margem esquerda junto à estrada do Campo, onde se irá ligar ao restante percurso ciclável até à costa atlântica na Figueira da Foz; à ligação de 1,3km de ciclovia entre o Açude-Ponte e Bencanta; e, posteriormente, à ciclovia que será criada na estrada de Eiras. Recorde-se, ainda, que a CM Coimbra está a instalar 83 postos de parqueamento de bicicletas na envolvente da rede de ciclovias municipais e pelos principais locais de destino das viagens. O projecto engloba a colocação de cinco oficinas de self-service.

É ainda de realçar que a Câmara de Coimbra vai plantar, pelo menos, 1 750 árvores no concelho no decorrer deste ano. O Plano de Arborização para 2021, que visa definir uma estratégia, os critérios de selecção das espécies e a planificação para a plantação de árvores em Coimbra a curto e a médio prazo, foi apresentado ao executivo municipal em Novembro passado e integra uma novidade: o fornecimento de 200 árvores, a plantar em locais fora do centro da cidade, nomeadamente nas freguesias periurbanas e rurais. O objectivo passa por aumentar, significativamente, o número de árvores a plantar no concelho e com esta acção ajudar também a combater os efeitos das alterações climáticas.

Em consulta pública está o projecto de Programa Municipal para as Alterações Climáticas. O documento está disponível na página electrónica do município, sendo que o envio de sugestões deve ser formulado por escrito e apresentado na Divisão de Relação com o Munícipe da Câmara, remetido por via postal ou ainda por correio electrónico para o endereço geral@cm-coimbra.pt. Este documento estratégico pioneiro propõe a adopção de 75 medidas de mitigação e adaptação para as alterações climáticas no concelho de Coimbra.