Coimbra  18 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Obras no Largo da Sé Velha e no Quebra-Costas arrancam em breve

16 de Abril 2021 Jornal Campeão: Coimbra: Obras no Largo da Sé Velha e no Quebra-Costas arrancam em breve

A empreitada de valorização do Largo da Sé Velha, da Rua e Largo do Quebra-Costas e das Escadas e Beco da Carqueja, na Alta de Coimbra, foram consignadas pelo presidente da Câmara de Coimbra.

A obra fica entregue à empresa que venceu o concurso público, a Construções Castanheira & Joaquim, Lda, representa um investimento de 1,6 milhões de euros e tem como objectivo melhorar a mobilidade e a segurança pedonal, criar mais esplanadas e organizar a circulação e estacionamento automóvel.

A autarquia dá assim sequência à requalificação da zona histórica da cidade, como previsto no seu Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), sendo que o investimento global já ascende a perto de quatro milhões de euros.

Na quinta-feira foi consignada mais uma obra de requalificação da Alta da cidade, que se insere no percurso Universidade de Coimbra/Arco de Almedina, onde agora está instalado também o Centro de Arte Contemporânea de Coimbra.

Esta empreitada está divida em três lotes. A intervenção no Largo da Sé Velha, que foi adjudicada por 857 248 euros (IVA incluído) e com um prazo de execução de 330 dias, visa reabilitar um espaço urbano de grande importância estratégica no enquadramento histórico e turístico da Alta da cidade.

A obra pretende incluir todos os níveis de intervenção no espaço público, que vão da modernização das redes existentes ao nível do subsolo, até à repavimentação integral, passando pela implementação de sistema de recolha de lixos domésticos, criação de zona de estar e plantação de exemplares arbóreos. Assim, o objectivo é criar condições que contribuam para a melhoria funcional das habitações, hotelaria, estabelecimentos comerciais e restantes edificações existentes na zona, bem como contribuir de forma decisiva para a agradabilidade geral do espaço.

A intervenção prevê o aumento da funcionalidade do local, mas mantendo a genuinidade do espaço, recuperando a ideia de praça e estruturando o espaço público, para dar maior protagonismo ao peão, permitindo um usufruto pleno do enquadramento urbano do lugar. A autarquia pretende optimizar ainda a relação do espaço público com o edificado, corrigindo os elementos e as intervenções dissonantes que foram realizadas ao longo do tempo.

Uma decisão tomada durante a revisão da proposta de requalificação do Largo da Sé Velha, na fase de desenvolvimento do estudo prévio, foi a de preservar a topografia actual do espaço, o que levou a redesenho da sucessão de patamares do lado norte, entre a Rua dos Coutinhos e a Rua do Cabido, de forma a que este conjunto não avançasse tanto sobre o Largo. Outra proposta efectuada durante a revisão do projecto foi a de reforçar o número de contentores de recolha de lixo associados a suportes fixos, de forma a esbater a sua presença na leitura do espaço, mas garantindo uma resposta a esta problemática revelada na fase de inquérito.

Já a intervenção na Rua e Largo do Quebra-Costas, que foi adjudicada por 583 016 euros (IVA incluído) e com um prazo de execução de 270 dias, pretende repavimentar, com materiais de maior resistência e atrito, esta que é uma das zonas mais movimentadas da Alta de Coimbra e parte essencial do percurso de ligação da Universidade à Baixa, desde o Largo da Sé Velha ao Arco de Almedina, a principal porta da antiga cidade.

A maior parte do percurso é em escadaria, com degraus altos e de acentuado declive, pelo que se pretende melhorar as condições de acessibilidade com o redimensionamento da altura de cada degrau e a introdução de um percurso pedestre mais confortável. O pavimento da rua apresenta muito desgaste e é composto por diversos materiais, tais como calcário, granito e mármore. Os patamares são de calçadinha portuguesa e calcário miúdo.

A parte inferior da área de intervenção é composta por lajetas, lancis, degraus de calcário e, ainda, calhau rolado. Para proceder à melhoria do conforto de todo o percurso, optou-se por utilizar granito de grão fino serrado na execução dos degraus maciços, parte dos patamares junto ao Beco da Cima e alguns dos percursos de ligação junto aos edifícios, mantendo-se o calhau rolado nos patamares do Quebra-Costas e no Beco de Cima e Beco da Imprensa. Devido à redefinição dos patamares em cota e desenho, a estátua da Tricana será reposicionada em local próximo do atual.

A empreitada prevê também a revisão das infraestruturas, com a passagem da rede eléctrica para subterrânea e a instalação de iluminação led, mas também a instalação de rede de gás natural, a remodelação de redes de abastecimento de água, a dotação de redes separativas de esgotos domésticos e pluviais e o reforço/revisão das redes de dados.

A requalificação das Escadas e Beco da Carqueja também passa pela remodelação das infraestruturas, para além da melhoria das condições de acessibilidade, eliminando barreiras arquitectónicas e repavimentando a via, tornando o percurso e o acesso às habitações mais seguro e confortável. Este lote foi adjudicado por 160 594 euros (IVA incluído) e o seu prazo de execução é de 180 dias.

A empreitada de valorização do Largo da Sé Velha, da Rua e Largo do Quebra-Costas e das Escadas e Beco da Carqueja avança agora, depois de já estarem concluídas as obras de requalificação das ruas da Ilha, Guilherme Moreira, José Falcão, Travessa da Trindade, Beco da Pedreira e Largo Hilário (740 mil euros), do Largo de S. Salvador (212 mil euros), das ruas dos Coutinhos, do Colégio Novo, da Fonte Nova e Joaquim António de Aguiar (680 mil euros); e de estar em curso os procedimentos do concurso público para requalificar as ruas Borges Carneiro, do Norte e de São João, e o Largo José Rodrigues (investimento previsto superior a 745 mil euros). A previsão do investimento global da autarquia nesta zona história da cidade é já de perto de quatro milhões de euros.