Coimbra  20 de Outubro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Nova maternidade requer “rápida decisão”

11 de Dezembro 2018

Nuno Freitas e Luís Filipe Pereira

O ex-ministro da Saúde Luís Filipe Pereira (PSD) defendeu, hoje, que a pretensão de dotar Coimbra de uma nova maternidade requer uma “rápida decisão”.

Antigo titular da pasta da Saúde nos governos de Durão Barroso e Pedro Santana Lopes, o economista, acompanhado pelo médico e líder concelhio do PSD/Coimbra, Nuno Freitas, visitou, hoje, a Maternidade de Daniel de Matos e o Hospital dos Covões.

Assunto bastante debatido, a localização da maternidade substituta da de Daniel de Matos e da de Bissaya Barreto ainda não foi posta «preto no branco».

O presidente do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, Fernando Regateiro, tem defendido para o efeito o polo de Celas (instalações do actual hospital novo e dos antigos HUC). Há, porém, quem preconize que a futura maternidade seja erguida junto ao Hospital dos Covões, como, por exemplo, o cirurgião Carlos Costa Almeida (autor de um artigo de opinião, acabado de divulgar, intitulado “Maternidades de Coimbra: Ainda a propósito de coisas estranhas…”).

A escolha do local é um aspecto “eminentemente técnico”, considera Luís Filipe Pereira, em cujo ponto de vista deve prevalecer “a preocupação” perante as exigências postas pela gravidez.

Médico, autarca e dirigente partidário, Nuno Freitas declarou ser “de desespero” a situação por que estão a passar as maternidades de Coimbra devido a falta de investimento.

Há “muita preocupação” face ao “atraso do processo” de edificação da unidade substituta das maternidades de Daniel de Matos e de Bissaya Barreto, vincou o líder concelhio do PSD/Coimbra.

Quanto à subalternização a que tem sido votado o Hospital dos Covões, o sobredito ex-ministro da Saúde não quis, por ora, emitir opinião.

Arredado da governação há 13 anos e meio, Luís Filipe Pereira não respondeu a uma pergunta de um jornalista do “Campeão”, cujo teor consistiu em questioná-lo sobre o motivo por que apenas em Coimbra, há sete anos, houve uma fusão com o alcance da agregação do então CHC – Centro Hospitalar (Covões, Pediátrico e Maternidade de Bissaya Barreto) aos Hospitais da Universidade (HUC).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com