Coimbra  24 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra investe 200 mil euros na Escola Inês de Castro

2 de Agosto 2023 Jornal Campeão: Coimbra investe 200 mil euros na Escola Inês de Castro

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) consignou, a  31 de Julho, a empreitada de remodelação da rede de abastecimento de água, de beneficiação e de conservação das coberturas da Escola Inês de Castro à empresa Irmãos Lopes & Cardoso, Ld.ª, por cerca de 200 mil euros, com um prazo de 120 dias.

O presidente da CMC, José Manuel Silva, acompanhado da vereadora da Educação, Ana Cortez Vaz, marcou presença na consignação de uma empreitada relativa à EB2,3 Inês de Castro, que integra o Agrupamento de Escolas Coimbra Oeste. A intervenção, com o um investimento de 208.958 euros (sem IVA), vai incidir sobre a rede de abastecimento de água no interior e no exterior da escola e vai também incluir trabalhos de beneficiação e de conservação das coberturas. “Com esta intervenção, há muito reivindicada pelo estabelecimento escolar e consecutivamente adiada, pretendemos, finalmente, dar mais um passo para dotar este estabelecimento escolar de maior conforto e dignidade para toda a comunidade”, salientou Ana Cortez Vaz.

De acordo com a ficha técnica da empreitada, o projecto contempla a substituição das condutas exteriores que abastecem cada um dos quatro blocos do complexo escolar e das respectivas redes interiores de distribuição aos equipamentos sanitários.

Quanto à cobertura, prevê-se a substituição integral da cobertura plana existente, replicando a solução equivalente à actual, garantindo previamente a reabilitação das zonas da platibanda com destacamento do recobrimento do betão.

Adicionalmente, vai ser executada a reabilitação do pavimento da cantina, nomeadamente junto às grelhas de drenagem de águas residuais existente. Pretende-se efectuar a remoção das grelhas existentes e os pavimentos cerâmicos, assim como a reabilitação do suporte para receber o novo cerâmico e aplicar grelhas novas e adequadas ao ambiente em que irão estar expostas.

A intervenção é feita nesta altura para que os trabalhos mais intrusivos decorram durante a pausa lectiva, e no arranque do ano lectivo, a intervenção não cause perturbações ao normal funcionamento da Escola.