Coimbra  19 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Inauguração de Escola em Antuzede virou visita e com espera pela chave

14 de Abril 2022 Jornal Campeão: Coimbra: Inauguração de Escola em Antuzede virou visita e com espera pela chave

O convite da Câmara de Coimbra era para a inauguração, esta quinta-feira, da Escola do 1.º Ciclo do Ensino Básico de Antuzede, mas acabou por ser uma visita, com uma espera de uma hora pela chave. O PS comentou o sucedido.

A iniciativa estava prevista para as 16h00 e só começou cerca das 17h00, quando chegou a chave para abrir o portão da Escola do 1.º Ciclo do Ensino Básico (CEB) de Antuzede, iniciando-se a visita do presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, à requalificação de que o estabelecimento de ensino foi alvo.

A visita contou também com a presença das vereadoras Ana Bastos e Ana Cortez Vaz, com o pelouro das Infraestruturas e Espaços Públicos e o pelouro da Educação, respectivamente, bem como do presidente da União de Freguesias de Antuzede e Vil de Matos, Diamantino Jorge, e a directora do Agrupamento de Escolas Coimbra Centro, Conceição Malhó Gomes.

A intervenção visou melhorar o conforto e a funcionalidade do espaço para o acolhimento dos mais de 50 alunos deste que é o único estabelecimento de educação e ensino da freguesia.

A intervenção passou, essencialmente, pela manutenção do edifício e pela remodelação do telheiro, onde surgiu um novo espaço de refeitório, que vai permitir que o serviço de almoços deixe de se realizar num monobloco. Este novo espaço vai contemplar uma sala de refeições, uma cozinha, caldeira e arrumo, e o seu acesso pode, agora, ser feito através do telheiro coberto. O telheiro vai funcionar também como recreio das crianças e espaço para a prática de educação física.

A empreitada contemplou ainda a formalização do campo de futebol e de um campo de basquetebol em pavimento de betão drenante, já que o pavimento anterior, de saibro, era inadequado para a prática deste tipo de atividades físicas.

As instalações sanitárias foram também remodeladas e o projecto incluiu, ainda, a introdução de uma rampa na entrada do edifício e no acesso do recreio ao recinto exterior. Também as vedações de todo o recinto escolar foram substituídas e o portão de entrada foi recuperado.

A obra foi entregue, em Janeiro de 2021, no mandato do anterior presidente da Câmara, Manuel Machado, à empresa Conimbriga – Empresa de Construções Lda., que ganhou o concurso público, representa um investimento superior a 635.000 euros (IVA incluído).

PS comenta

O PS, através de David Ferreira da Silva, presidente da Concelhia de Coimbra, que esteve presente juntamente com o vereador socialista Carlos Cidade, comentou o sucedido como tendo sido uma “inauguração anunciada que não aconteceu, sem placa e (quase) sem chaves”.

O texto divulgado foi o seguinte:

“A inauguração anunciada pelo senhor presidente da Câmara da requalificação do Centro Escolar de Antuzede acabou por ser brindada por um conjunto de peripécias que representam o mandato da coligação liderada por José Manuel Silva.

Marcada para as 16h00, a dita inauguração desta obra (lançada pelo Executivo Socialista e que foi uma importante reivindicação do presidente da União de Freguesias de Antuzede e Vil de Matos, Diamantino Jorge) teve direito a um atraso de uma hora, devido ao caricato episódio da falta da chaves. A desorganização e incompetência do actual Executivo municipal ficou patente quando ao chegarem à escola se depararam pela falta das chaves para abrirem a escola que queriam que fosse inaugurada.

Num acto claramente apressado – notou-se a falta de descerramento da placa evocativa do momento, talvez pela vontade do Executivo da Câmara de inaugurar a escola mais do que uma vez ou pelo claro desrespeito do Executivo pela União de Freguesia de Antuzede e Vil de Matos e seus fregueses -, o episódio da chave foi o pináculo de uma inauguração anunciada que não o foi.

Para o PS, a conclusão destas obras é um momento de orgulho pela obra feita pelo Executivo socialista da Câmara e da União das Freguesias de Antuzede e Vil de Matos, liderada pelos socialistas, e merecia muito mais respeito e dignidade do que aquela que foi feita. Certamente que teremos hipótese de o fazer noutro contexto, com chaves, placa e consideração pelos que ali vivem e estudam. Mais um episódio triste e lamentável de José Manuel Silva, não dignificando a sua função de Presidente da Câmara. Coimbra não merece”.