Coimbra  16 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra formalizada como Capital Europeia da Economia Social no final de 2021

29 de Março 2021 Jornal Campeão: Coimbra formalizada como Capital Europeia da Economia Social no final de 2021

Coimbra é uma das cinco cidades portuguesas que integra a rede seleccionada para receber o título de Capital Europeia da Economia Social em 2021.

A selecção foi efectuada pela CASES, que decidiu, ainda, que Coimbra vai receber, no último trimestre do ano, o Encontro Ibérico de Economia Social, centrado nos temas do desenvolvimento local, regional, transfronteiriço e da internacionalização.

“O papel da Economia Social na criação de emprego e na implementação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais”, integrada no programa oficial da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, que contou com as intervenções da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, do Comissário Europeu, Nicolas Schmit, dos autarcas que integram a rede e do presidente da CASES.

Manuel Machado destacou que “é importante que seja uma capital polinucleada, baseada e sustentada na capacidade de cada um dos nossos municípios e, sobretudo, no entusiasmo que temos em trabalhar para o bem comum”, afirmou o presidente da CM Coimbra, enaltecendo o trabalho do poder local democrático no combate às desigualdades sociais, sobretudo hoje, em que vivemos num período económico e social difícil devido à pandemia da covid-19.

O autarca realçou, ainda, a importância da “efectiva inclusão social das pessoas, nomeadamente de grupos mais vulneráveis”, da criação de “medidas de protecção social, com uma maior proximidade do Estado aos cidadãos”, da promoção “da economia do terceiro sector” e da aposta no empreendedorismo social. “Tudo isto já sabido. Mas hoje é ainda mais importante que seja praticado”, considerou.

Manuel Machado recordou que em Coimbra estão sediadas cerca de 300 organizações da economia social, “que desempenham, em articulação com a Câmara Municipal e as Juntas de Freguesia, um trabalho notável”. “Neste último ano, em que a crise pandémica trouxe também associada uma crise económica e social que vai perdurar, foi a nossa rede que primeiramente deu uma resposta real às pessoas, para que não passassem fome, para que não ficassem sem água, eletricidade e gás, ou para que não dormissem ao relento”, afirmou, realçando, “trabalhámos para que ninguém ficasse para trás!”.

“O nosso Estado Social não seria o mesmo sem os municípios e sem o seu desassossego, que invulgarmente é notado no espaço público e mediático, pois optamos por fazê-lo dessa forma, mas que é o amparo de milhares de famílias por este país fora, seja pelo apoio prestado, seja pela importância que este sector já tem na nossa economia”, acrescentou ainda, considerando que “por isso, entendemos que este título, polinucleado, em 2021 merece a participação de todos, não apenas dos subscritores, mas dos nossos pares”. Manuel Machado afirmou garantir que, em Coimbra, a economia social vai continuar a ser uma aposta da autarquia e agradecendo à CASES pelo seu trabalho em prol de um mundo melhor e mais justo.